Para Erundina, partidos precisam parar “de olhar para o próprio umbigo”

A ex-petista defende que o País tem assuntos mais importantes para tratar do que a crise entre o PT e a senadora Marta Suplicy. Para a deputada, os partidos estão preocupados demais em discutir as próximas eleições e acabam deixando de lado a situação econômica dos brasileiros

Por O Dia

“O problema é o vazio de nossa agenda política”%2C afirma Luiza Erundina Antonio Milena

Fora do PT desde o fim dos anos 1990, a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP) afirma que o Brasil tem hoje assuntos mais sérios para discutir do que a sucessão da Presidência da Câmara dos Deputados e, principalmente, a crise entre a senadora Marta Suplicy (PT-SP) e os petistas. “Os deputados eleitos em outubro passado ainda nem tomaram posse e os partidos já estão discutindo nomes para a disputa de 2016 e até mesmo para 2018”, critica. Erundina destaca que Marta estava no governo até o fim do ano passado e coloca a crise entre a senadora e o partido como uma questão ”até pessoal” quando comparada aos temas de interesse da população em geral. Segundo a deputada, o PSB paulista não a chamou para discutir uma possível filiação da senadora ao partido.

Para Erundina, suas afirmações não devem ser encaradas como críticas à ex-colega de partido, ex-prefeita de São Paulo como ela. “A Marta tem os méritos dela, não se trata disso. O problema é o vazio de nossa agenda política”, afirma. A deputada diz que o Brasil precisa discutir mais a ameaça de volta da inflação e o desemprego, preocupação crescente, principalmente no setor industrial. Outras preocupações, segundo ela, são com os impactos do ajuste da política econômica na vida dos trabalhadores e com a necessidade de maior justiça fiscal, com impostos mais concentrados na renda e nas grandes fortunas. “Os partidos precisam parar de olhar para o próprio umbigo”, diz. Erundina coloca esses temas como mais importantes hoje para o País do que até mesmo as denúncias de corrupção na Petrobras investigadas na Operação Lava Jato.

Querer e poder

A deputada Luiza Erundina participa hoje, em São Paulo, de um debate com Javier Toret Medina, do Podemos, novo partido de esquerda espanhol. O encontro é organizado pelo Queremos, que rompeu com a Rede depois de Marina Silva apoiar Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da disputa presidencial.

Campanha de Suplicy ainda tem dívidas

A campanha de Eduardo Suplicy ao Senado em São Paulo tem um déficit de R$ 260 mil. É o valor devido à produtora responsável pela comunicação. A dívida foi assumida pelo Diretório Estadual do PT, mas sem prazo para quitação. Suplicy disse ter proposto ao partido o pagamento em seis parcelas. Chico Malfitani, o marqueteiro da campanha, diz ter gasto 5% (R$ 2,3 milhões) do total da campanha de Alexandre Padilha ao governo (R$ 40 milhões). E obteve quase o dobro dos votos no Estado (Suplicy ficou com 34% e Padilha, 18%). “Não ganhamos, infelizmente. Mas isso é injusto. Tivemos o dobro de votos e a retribuição foi o esquecimento”, lamenta.

Empresário polêmico lança portal

Três irmãos empresários, Silvio, Silas e Sérgio Assis, pretendem lançar em Brasília o portal Fato Online. Dizem estar à procura de jornalistas renomados. Silvio é citado no relatório final da CPI do Narcotráfico, em 2000. A comissão pedia seu indiciamento. Ele chegou a ser preso. O empresário teria também, em 2005, pago passagens aéreas para Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão do ex-presidente Lula, segundo gravações de supostas tentativas de venda de influência.

Animado com o novo emprego

Recém-empossado como ministro dos Transportes, o suplente de senador e vereador paulistano Antonio Carlos Rodrigues (PR) parece bastante satisfeito com o seu novo local de trabalho. Ele postou ontem, nas redes sociais, uma foto da vista do seu gabinete, no sexto andar do prédio do Ministério. A imagem mostra, em primeiro plano, a sede do Congresso Nacional e destaca que a edificação é uma das principais obras projetadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Com Leonardo Fuhrmann

Últimas de _legado_Notícia