Por douglas.nunes

A um mês do início da Copa do Mundo, o Brasil apresenta falhas na área de segurança, que podem prejudicar a imagem do país no exterior, disse nesta terça-feira, o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), João Augusto Nardes.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, contudo,  assegurou que o país está preparado para o Campeonato Mundial de Futebol. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, também afirmou que a segurança pública vai funcionar durante o evento.

Durante debate sobre a gestão da segurança pública no Brasil e o lançamento de um estudo sobre a governança no setor, o presidente do TCU disse que, apesar de alertas feitos pelo tribunal, os governos estaduais e o federal não tomaram todas as medidas necessárias para superar os problemas relacionados à segurança durante a Copa.

“Fizemos várias viagens em todo o Brasil, e sentimos que algumas capitais não terão as obras de mobilidade. Há muitos canteiros de obras [expostos] que, por si só causam, de certa forma, preocupação com a segurança, porque não estão adequados à estrutura da boa segurança para quem vai assistir a Copa”, disse Nardes.

De acordo com o presidente do TCU, o tribunal alertou, há dois anos, sobre as providências que os governos deveriam tomar em relação à Copa como um todo. Mas, segundo ele, o alerta não foi suficiente.

“O Tribunal de Constas da União tem feito o seu papel no sentido de mostrar onde estão os gargalos, e esperamos que na reta final sejam tomadas as providências, especialmente na questão da segurança, porque qualquer tipo de crime que aconteça durante a Copa pode manchar todo um trabalho feito por todos os brasileiros”, frisou.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu as críticas e disse que o planejamento foi organizado de forma conjunta entre os ministérios da Justiça, da Defesa e as secretarias de segurança dos estados-sede.

“Todo o planejamento para Copa passou por uma integração. Os investimentos em segurança dotaram as 12 cidades-sedes de centros de comando moderníssimos. Utilizando instrumentos de alta tecnologia e eficácia”, disse o ministro.

Manifestações

Em participação no programa Bom Dia, Ministro, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou nesta terça-feira que prevalecerá o ambiente de festa e de confraternização durante o torneio e que manifestações violentas serão casos isolados. 

“Manifestações, se houver, serão atos isolados. Acho que o país está preparado porque a legislação brasileira protege as manifestações pacíficas e coíbe as manifestações violentas. Acho que não tem tanta gente interessada em que a Copa seja tumultuada por manifestações violentas. Eu creio que estamos preparados, que a segurança pública vai funcionar. A integridade dos torcedores, da população e dos convidados será assegurada. Não vejo risco da parte das manifestações”, disse.

Sobre o ataque à Embaixada do Brasil na madrugada de ontem, em Berlim como forma de protesto contra a Copa, o ministro ressaltou que o incidente não altera a vinda de turistas estrangeiros. “Foi meia dúzia, acho que encomendados, que organizaram aquele tipo de protesto. Mas isto não vai intimidar nenhum turista. Não creio que vá haver qualquer problema.”

Questionado sobre as repercussões negativas em relação à organização do Mundial, Aldo destacou que “uma parte da mídia brasileira faz campanha contra a Copa e uma parte da imprensa do mundo repercute isto”.

“Como só vamos ter repercussão das coisas negativas do Brasil? Não estou dizendo que nós não temos coisas negativas. Nós temos. A violência é uma delas. Agora eleger as deficiências do Brasil como se fossem as únicas coisas que nós podemos encontrar no país, isto é inaceitável. O Brasil já fez coisas mais importantes e mais difíceis do que Copa do Mundo. O Brasil não vai se atrapalhar com Copa do Mundo. Vamos aproveitar a Copa para enfrentar nossas deficiências, inclusive na área de segurança, por exemplo. Vamos fazer esforço para cumprir melhor os nossos prazos, mas não vai falta nenhum estádio para a Copa.”

Em relação ao atraso das obras de mobilidade urbana, o ministro informou que estas obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento e foram antecipadas para melhorar as condições de realização do torneio “eram obras que as nossas metrópoles careciam para melhorar o tráfego. Essas obras antecipadas nem todas tiveram condições de ficar prontas para a Copa. Serão entregues depois como o VLT [veículo leve sobre trilhos] de Cuiabá.”

Você pode gostar