Por leandro.eiro
Publicado 28/05/2013 23:23 | Atualizado 28/05/2013 23:23
Verinha Furacão nos tempos de dançarinaarquivo pessoal

Rio - A ex-chacrete Verinha Furacão, 59 anos, faz coro com algumas de suas colegas e ex-dançarinas do programa do Chacrinha e se diz indignada com Márcia, a Tetê Para-Choque e Para-Lama, vivida por Elizabeth Savalla na novela ‘Amor à Vida’, de Walcyr Carrasco.

Morando em Búzios há 18 anos, Furacão, que é separada e mãe de Andrea Emília, de 38, explica por que se sentiu ofendida pelo autor da trama da Globo: “No capítulo que Márcia vai depor para explicar por que sumiu depois de fazer o parto de Paloma (Paolla Oliveira), o delegado diz que ela se prostitui para sustentar a filha e tem a ficha suja. Márcia tinha que se defender e não falou nada. O que me revolta é que, sempre que a Globo fala das chacretes, é para denegrir nossa imagem. Isso é uma deformação. Não é porque uma chacrete se prostituiu que todas seguiram o mesmo caminho. Minhas colegas têm família, filhos, netos a zelar”.

Vera acrescenta que a emissora menospreza o trabalho delas: “Quando nos chamam para aparecer em algum programa, não pagam nem cachê. Da última vez, disseram que iríamos ganhar um lanche. Não vivo de lanche. Não estou procurando emprego, não estou na mídia. Não preciso mais disso. Tenho a minha aposentadoria, que é pouca, mas dá pra viver”.

Para encerrar, Vera retruca: “Por que não colocam as paquitas nas novelas? Elas também eram dançarinas. Por que que trambiqueira tem que ser chacrete?”

Você pode gostar