No ritmo de Saramamdaia

O pássaro formoso da música mais conhecida de Ednardo volta hoje no remake de ‘Saramandaia’

Por O Dia

Rio - Quem ouve ‘Pavão Mysteriozo’ hoje, mal sabe que a ave, por pouco, não deixou de mostrar a “cauda aberta em leque”, como diz a letra. A canção, inspirada num conhecido romance de cordel, era o principal tema do segundo disco de Ednardo, ‘O Romance do Pavão Mysteriozo’ (1974). Mas o cantor suou para mantê-la no álbum.

“A versão original é enorme. No disco da novela, ela saiu cortada. Um diretor da gravadora (RCA, hoje Sony) chegou a falar: ‘Cara, acho melhor tirar essa música!’. O produtor do disco, que era o radialista Walter Silva, segurou a música e falou que ela ainda iria fazer sucesso. E fez, né?”, graceja.

Ednardo recorda que ‘Pavão Mysteriozo’ quase nem foi lançadaDivulgação

‘Pavão Mysteriozo’ não foi tema só de ‘Saramandaia’. Em 2002, foi hino da sexta edição da Parada do Orgulho Gay em São Paulo. Tudo a ver com a história libertária da música, composta na ditadura. “A gente buscava maneiras de burlar a censura. E eu usei o cordel para tecer comentários sobre a época, em versos como ‘eles são muitos, mas não sabem voar’”, recorda, lembrando outros voos do ‘Pavão’.

“A jornalista Ana Maria Bahiana me disse, nos anos 70, que, durante uma viagem que ela fez com o Egberto Gismonti para o Xingu, viu índios fazendo um ritual sagrado com a minha música! Um amigo meu viu um pessoal tocando o ‘Pavão’ no Japão e fez um vídeo. Só que ele teve o celular roubado e o vídeo foi junto. Nunca consegui ver!”, brinca.

Apesar de ser quase sempre lembrado pelo ‘Pavão’, Ednardo não é cantor de um sucesso só. Teve vários: ‘Artigo 26’, ‘Enquanto Engoma a Calça’, ‘Carneiro’, ‘Terral’. Boa parte dessas músicas foi composta no começo dos anos 70, quando o cantor integrava o coletivo Pessoal do Ceará, com amigos como Rodger e Téti, e vários outros artistas nordestinos, cearenses ou não.

Outro desses ilustres colegas é um conterrâneo que virou astro da MPB e hoje anda sumido: Belchior, com quem Ednardo lamenta não ter mais contato. “Ele tem sido rotulado como fugitivo, como mau pagador, e é um artista que merece mais respeito. Não é só ele que está sumido, todos nós estamos. E quem dá sumiço na gente não somos nem nós mesmos nem o público, é a mídia”.
Mesmo sem gravar desde 2002 (ano em que lançou um disco com Belchior e Amelinha, ‘Pessoal do Ceará’), Ednardo faz muitos shows e turnês pelo Brasil.

Tem planos para gravar um DVD duplo ainda esse ano em Fortaleza. Após vários anos em São Paulo, fixou-se em Ipanema em 1982. E a vida familiar vai bem, obrigado: pai de quatro filhos (entre eles a atriz Joana Limaverde, apresentadora do programa ‘Show de Bebê’, do canal Bem Simples), ele tem, há 40 anos, um “ajuntamento de responsa” com a psicóloga Rozane. “Meu filho mais novo nasceu no Rio e tenta me ensinar a ser carioca. Mas eu também estou ensinando-o a ser cearense”, brinca o artista.

A letra da música de Ednardo

Pavão misterioso/ Pássaro formoso/ Tudo é mistério/ Nesse teu voar/ Ai se eu corresse assim
Tantos céus assim/ Muita história/ Eu tinha pra contar...

Pavão misterioso/ Nessa cauda/ Aberta em leque/ Me guarda moleque/ De eterno brincar/ Me poupa do vexame/ De morrer tão moço/ Muita coisa ainda/ Quero olhar...

Pavão misterioso/ Pássaro formoso/ Tudo é mistério/ Nesse seu voar/ Ai se eu corresse assim/ Tantos céus assim/ Muita história/ Eu tinha pra contar...

Pavão misterioso/ Pássaro formoso/ No escuro dessa noite/ Me ajuda, cantar/ Derrama essas faíscas/ Despeja esse trovão/ Desmancha isso tudo, oh!/ Que não é certo não...

Pavão misterioso/ Pássaro formoso/ Um conde raivoso/ Não tarda a chegar/ Não temas minha donzela/ Nossa sorte nessa guerra/ Eles são muitos/ Mas não podem voar...

Últimas de Diversão