Por daniela.lima

Rio - Sem essa de que viajante precisa de McDonald’s. A lanchonete, claro, tem seu momento. Mas, para o turista que busca o tempero local, vale a peregrinação pelos restaurantes onde pratos como o picadinho, o galeto, o bobó de camarão e a feijoada se apresentam em grande forma, como um cartão postal das panelas cariocas. 

Quem está visitando o Rio não pode deixar de experimentar a típica comida dos cariocasDivulgação


O sucesso popular dos franguinhos espetados sobre carvão em brasa atesta a paixão pelas galeterias na cidade, onde custa pouco se lambuzar em casas como o tradicional Braseiro, em Copacabana. O galeto à campanha dá para dividir e vem com batatas fritas, arroz, farofa deliciosa de ovo e salsa e o molho feito na hora, à frente do freguês (R$ 33,44). No final, tem ‘lavanda’ de água quente com limão para limpar os dedos.

Para quem é da carne vermelha, fica na Lapa o berço do filé Oswaldo Aranha, que foi inventado no Cosmopolita coberto de alho, com farofa, arroz e batatas portuguesas (R$ 48). Os bifões suculentos vêm aquecidos nas antigas panelinhas da casa, e o sabor se mantém como a tradição.

Feijoada? São muitas, de norte a sul. Servido para duas pessoas diariamente, ao lado de uma coleção de cachaças para ninguém botar defeito — incluindo a boa produção do estado —, o prato se destaca na Academia da Cachaça. É servido com costela, paio, carne seca e linguiça misturados ao feijão, ao lado de arroz, farofa, couve com bacon e laranja (R$ 72,80). Com direito a ‘shot’ de pinga envelhecida com mel.

Se a ideia é um bobó de camarão, crustáceo que mora no coração do Rio, o Nomangue serve um dos melhores da praça, para duas pessoas, com arroz e farofa de dendê (R$ 89), além de robusta coleção de frutos do mar em boa relação preço-qualidade.

Não podemos terminar sem o picadinho de carne no próprio molho, e o prato é ótimo pretexto para conhecer o Nova Capela, um dos mais tradicionais restaurantes da Lapa: vem com petit pois, purê e ovo estalado por cima, e pode ser dividido (R$ 39).

A sobremesa só pode ser na Confeitaria Colombo, que conta em ambiente ‘art nouveau’ a história da cidade entre os séculos 19 e 20. Os Pingos de Tocha, feitos com muitas gemas e acento português (R$ 7), são fabricados há um século na casa. Há monumentos também nas cozinhas.

ACADEMIA DA CACHAÇA. Loja do Leblon na Rua Conde Bernadotte 26 (2529-2680). De dom a qui, de meio-dia à 1h. Sex e sáb, de meio-dia às 2h. Cc: Todos. BRASEIRO. Rua Domingos Ferreira 214, Copacabana (2547-9843). Diariamente, das 11h à 0h30. Cc: Todos. COLOMBO. Rua Gonçalves Dias 32, Centro (2505-1500). De seg a sex, das 9h às 20h. Sáb, das 9h às 17h. Aceita todos os cartões de crédito. COSMOPOLITA. Travessa do Mosqueira 4, Lapa (2224-7820). De seg a qui, das 11h à 1h. Sex e sáb, das 11h às 5h. Cc: Todos. NOMANGUE. Rua Sá Ferreira 25, Copacabana (2225-4028). De dom a qua, de meio-dia às 23h. De qui a sáb, de meio-dia à meia-noite. Cc: Todos. NOVA CAPELA. Rua Mem de Sá 96, Lapa (2252-6228). Diariamente, das 11h às 4h. Cc: Todos.

Você pode gostar