Flávia Bittencourt e Thiago Varzé se apresentam no Rio

Maranhense e paulistano invadem nossa praia

Por O Dia

Rio - Ela é maranhense. Ele, de São Paulo. Flávia Bittencourt e Thiago Varzé só conheciam as músicas um do outro. Mas eram doidos para se encontrar pessoalmente. Quis o destino que as agendas dos dois apontassem para o Rio e... bingo! Promovemos o encontro deles nos bastidores do Teatro Rival, onde ela apresenta hoje seu CD ‘No Movimento’. Quinta-feira é a vez do paulistano, que lança seu segundo CD, ‘Tempo de Ser’, no Solar de Botafogo.

O papo flui tão naturalmente que parecem amigos de longa data. Nem precisaria de repórter: curiosos um sobre o outro, eles se autoentrevistam. “Cantei de tudo um pouco para faturar algum na noite. Começava com ‘Garota de Ipanema’ e acabava com O Rappa”, responde Varzé à pergunta dela a respeito do começo de sua carreira.

E logo descobrem muito em comum: depois do início difícil, os dois chamaram a atenção de nomes consagrados. Varzé gravou no estúdio do ídolo Djavan (“Ele me emprestou seu próprio violão!”, emociona-se), e encantou Jorge Vercillo, com quem fez show. O padrinho de Flávia foi Dominguinhos.

“Meu pai foi a um show dele e lhe deu meu CD. O Dominguinhos deixou o número do telefone e pediu para eu ligar, o que nunca fiz, por vergonha”, conta. “Depois o conheci, relembrei a história e rimos. Ele acabou tocando no meu disco e me apresentou a muita gente bacana. Fiz amizade com o Luiz Melodia, por exemplo, e chegamos até a cantar juntos”, orgulha-se.

Os dois garantem que um vai ao show do outro. “Quero que um dia você conheça o sarau Lua Nova, em São Paulo, até o pessoal do Cirque du Soleil foi lá!”, convida Thiago. “E nós vamos a São Luiz do Maranhão, pode ficar lá em casa”, devolve Flávia.

Últimas de Diversão