Mauricio de Sousa e Thalita Rebouças participam da Bienal do Livro

Autores do público jovem selam parceria com livro e dão autógrafos neste sábado

Por O Dia

Rio - Há controvérsias sobre a existência de amor à primeira vista, mas dá para dizer que entre Mauricio de Sousa e Thalita Rebouças foi amor à primeira leitura. Os dois já eram fãs um do outro quando se conheceram, em 2010, na Bienal do Ceará, e a paixão pelo público adolescente fez com que ‘namorassem’ a ideia de um trabalho juntos. Após três anos de ‘compromisso’, a união enfim foi selada com o livro ‘Ela Disse, Ele Disse — O namoro’ (Ed. Rocco, 144 págs., R$ 27), que os autores lançam na Bienal do Livro, que começa nesta quarta-feira, no Riocentro.

O texto, que é continuação do sucesso ‘Ela Disse, Ele Disse’ (Ed. Rocco), de Thalita, aborda as diferenças entre meninos e meninas diante dos conflitos do relacionamento, alternando a narrativa entre o casal adolescente Rosa e Léo. Como em briga de ‘marido e mulher’ alguém sempre ‘mete a colher’, a Turma da Mônica Jovem assume o papel de leitora e dá seus pitacos durante a trama.

Mauricio e Thalita levaram três anos para conseguir se encontrar e fazer ‘Ela Disse%2C Ele Disse — O Namoro’Divulgação

Embora dividam o mesmo público, juntar os personagens não foi fácil. Segundo Mauricio, a ideia da Turma como espectadora foi de sua filha Marina, durante um café da manhã em Nova York. “Procurávamos uma forma de unir nossos estilos sem que ninguém se metesse no texto do outro”, explica Mauricio. Com isso, abrir um espaço para Mônica e sua trupe em ‘Ela Disse, Ele Disse’ apareceu naturalmente. “Os fãs viviam me pedindo para ler mais sobre a Rosa e o Léo. Então, foi só um empurrãozinho extra para tocar o projeto”, lembra Thalita.

Dupla de autores brasileiros que mais vende para o público infantojuvenil, ambos concordam que o que aproxima os adolescentes da leitura é retratar as situações cotidianas pelas quais eles estão passando. Por isso, temas como bullying, relação entre pais e filhos e ciúme são abordados no livro com naturalidade. “Quando escrevo, me sinto uma garota de 14 anos e penso no que eu gostaria de estar lendo”, explica Thalita. “Não quero dar lição de moral, quero que eles tirem suas próprias conclusões”, complementa ela.

Para Mauricio, os jovens estão mais participativos devido a uma grande intimidade com as redes sociais. “Eles interferem nas histórias por Twitter e Facebook, mandam e-mails falando sobre o que querem ler. Estão mais decididos, por isso devemos ser flexíveis”, destaca o quadrinista.

Para ir além do livro e da internet e conhecer os autores ao vivo, Mauricio e Thalita estarão na Bienal do Livro neste sábado, às 16h, falando sobre esta e outras publicações. Será que podemos esperar outro trabalho em conjunto? Ela disse que depende dele. Ele disse que está sempre disposto a trabalhar com ela.

Confira a programação desta quarta-feira

- As peças ‘Flicts’ e ‘O Bichinho da Maçã’, de Ziraldo, serão encenadas às 15h15, às 16h15, às 17h15 e às 18h15.

- A mesa ‘Novos Tempos, Novos Escritores’ recebe Noemi Jaffe, Vinícius Jatobá, Wesley Peres e Nuno Camarneiro, às 17h.

- Inez Viana media debate sobre coisas de mulher, com Cristiane Costa e Miguel Paiva, às 17h30.

- André Vallias, Ricardo Domeneck e Bas Böttcher discutem poesia na mesa ‘A Poesia do Século 21’, às 19h.

- Os responsáveis pelo Museu da Imagem e do Som e pelo Museu do Futebol de São Paulo debatem futebol e música popular, às 19h.

Últimas de Diversão