Com 17 anos de estrada, Matchbox Twenty toca no Brasil pela primeira vez

'Nos fazemos pop rock, não queremos mudar o mundo', explica Paul. Banda vai se apresentar no Rock in Rio

Por O Dia

Rio - Vem o riff de guitarra, a batida encorpada com bateria e baixo e, finalmente, a voz rasgada de Rob Thomas cantarolando a melodia pegajosa: “Feels like you made a mistake...” Lembrou? Um dos carros-chefes do Matchbox Twenty, o hit ‘Disease’ já fez sucesso aqui no Brasil quando embalou a trilha sonora de ‘Mulheres Apaixonadas’ (2003), da Globo. Mas somente agora acontece o encontro da banda norte-americanas com os fãs brasileiro: nesta sexta-feira, a partir das 20h30, as baladas românticas rolam soltas no Rock in Rio, no Palco Mundo. 

Com 17 anos de estrada%2C Matchbox Twenty toca no Brasil pela primeira vez e se apresentano Rock in Rio Divulgação


“Nunca visitei o Brasil. Só vi fotos. Parece ser um lugar maravilhoso. Também vi alguns vídeos do Rock in Rio e o negócio é realmente enorme. Mal posso esperar para chegar aí”, vibra, ao telefone, o guitarrista e baterista Paul Doucette. “‘Disease’ é um dos momentos altos do show. Está sempre no nosso setlist. Vamos tocar um pouco de tudo. Manteremos a energia acesa durante toda a apresentação”, promete.

Mas não espere ouvir um outro sucesso cantado por Rob Thomas: ‘Smooth’ — música composta em parceria com o guitarrista mexicano Santana. Já que não faz parte de nenhum disco do Matchbox, ela fica de fora do repertório. Paul, entretanto, reconhece que a canção ajudou a alavancar a popularidade da banda. “Muitas pessoas que nunca ouviram falar em Rob Thomas ou Matchbox Twenty começaram a nos ouvir com o sucesso de ‘Smooth’”, diz.

Depois de trilharem 17 anos de estrada pavimentados com nada menos do que 30 milhões de álbuns vendidos, os músicos lançaram no ano passado o disco ‘North’. “Dessa vez, começamos o processo de composição de forma mais coletiva, em vez de sentarmos separadamente para escrever sozinhos”, explica Paul.

“Hoje, estamos mais confiantes. Sabemos o que o Matchbox Twenty é. Sabemos o que fazer e como fazer. Encontramos o nosso norte. Sabe, nós trabalhamos muito duro. Somos uma banda de pop rock. Não fazemos planos para mudar o mundo.”

A união demonstra que o grupo não deixou a peteca cair mesmo após dez anos sem um CD de inéditas. Foi, aliás, um tempo de mudanças: com a saída do guitarrista Adam Gaynor, que gravou os três primeiros álbuns, Paul Doucette teve de trocar as baquetas pela palheta: assumiu a guitarra, enquanto um baterista contratado toca durante a turnê. “Gosto de tocar guitarra. Mas também toco bateria em alguns momentos do show. Às vezes, sinto falta dela”.

Após o Matchbox, o Palco Mundo será de Nickelback e Bon Jovi. Seria uma reunião de conjuntos do mesmo nicho musical? “Somos bandas de pop rock, partilhamos de uma mesma base, mas não diria que temos sonoridades semelhantes”, opina Paul.

Últimas de Diversão