Por daniela.lima

Rio - O Red Hot Chili Peppers chegou ao Brasil, ainda nos anos 80, de skate. Entre os primeiros fãs da banda por aqui, estavam os skatistas locais. O grupo de Anthony Kiedis (vocal), Josh Klinghoffer (guitarra), Chad Smith (bateria) e Flea (baixo) toca amanhã no Parque dos Atletas, no Circuito Banco do Brasil, evento que cruza guitarras com shapes e rodinhas — além da música, rola a Copa Brasil de Skate Vertical, etapa Rio, com half-pipe inédito no Brasil, trazido pelo campeão Sandro Dias, o Mineirinho. 

Os Red Hot Chili Peppers tocam em show que une rock e skate no Circuito Banco do BrasilDivulgação


“Ouço o som deles para andar de skate até hoje. Por volta de 1987, havia vídeos do esporte que
usavam músicas deles, e festivais em que eles tocavam em meio a rampas”, recorda Mineirinho. Após a Copa de Skate (que rola pouco antes do show), ele vai a São Paulo dar um beijo no filho, que faz um aninho. “Não vou poder ver o grupo no Rio, mas assisti em Belo Horizonte (quando o Circuito Banco do Brasil passou por lá, em 2 de novembro). Adorei”.

O set list dos Chili Peppers centra nos álbuns gravados após a entrada do guitarrista John
Frusciante, que ficou na banda entre 1988 e 2008. Traz desde músicas novas como ‘Factory of Faith’ até clássicos de fases mais recentes, como ‘By The Way’, ‘Under The Bridge’,  'Californication’, ‘Give It Away’ e a releitura para ‘Higher Ground’, de Stevie Wonder. A primeira fase, na qual o guitarrista era Hillel Slovak — amigo de infância de Flea e Kiedis, morto em 1988 — quase não dá as caras.

“Nessa época, eles eram basicamente ouvidos por skatistas e surfistas. Só depois do álbum ‘Blood Sugar Sex Magic’ (1991, do hit ‘Give It Away’) o som deles passou a tocar na noite carioca”,
recorda o DJ Wagner Fester, fã de primeira hora da banda. Ele presenciou momentos inesquecíveis nos shows brasileiros do grupo, como o mar de camisetas rodadas pelo público durante ‘Higher Ground’ no Hollywood Rock de 1993, na Praça da Apoteose. E arrisca uma explicação para o sucesso do grupo com garotos e garotas com menos da metade das idades dos integrantes.

“Os caras têm carisma e um visual largado, uma atitude ‘desencapada’. Fizeram até um clipe com
visual de videogame (‘Otherside’)”, conta. “Não têm como não funcionar com a molecada. E quem
curte rock no Brasil quer canção, saber onde tem a parte A, a parte B, a hora de pular. Eles têm
isso.” 

Circuito Banco do Brasil reúne skate e rockDivulgação


Baixista dos Raimundos, uma das bandas que irão abrir para o RHCP (veja boxe abaixo), Canisso é fã de Flea, que comanda as quatro cordas na banda. “E ele é humilde, diz que não toca bem. Imagina se ele achasse que é o bom. No Rock in Rio 3 (2001) tocaríamos na noite deles, se não tivéssemos desistido da apresentação”, recorda.

Tico Santa Cruz, cantor dos Detonautas, outra banda que está no festival, abriu para o grupo em
2002 no antigo ATL Hall, hoje Citibank Hall, na Barra da Tijuca. “Foi o que nos projetou. Lembro
que conversamos bastante e que o Rodrigo Netto (guitarrista dos Detonautas morto em 2006) ficou trocando e-mails com o Flea durante alguns anos”, conta.

EU QUERO É ROCK!!!!

Tem mais rock no Circuito Banco do Brasil, dividido em dois espaços, o Palco Circuito e o Palco
Brasil. Este abre às 16h20, com Rodrigo Amarante mostrando as canções de seu disco solo, ‘Cavalo’, e ousando ao trazer como convidado especial o tropicalista Tom Zé. Às 17h30, o Detonautas Roque Clube traz sucessos, músicas novas como ‘Forever Alone’ (cantada em português, apesar do nome) e hits do mago Raul Seixas, como ‘Aluga-Se’.

Os Raimundos abrem o Palco Circuito tomando como base para o show o segundo álbum, ‘Lavô Tá Novo’ (1995), mas fazendo um passeio por toda a carreira. “‘Mulher de Fases’, que é nossa
‘Satisfaction’, está no show! Não dá para deixar de tocar essa”, avisa Canisso, baixista. Na
sequência, todo mundo de volta ao Palco Brasil: vencedora do concurso SomPraTodos (que leva um grupo independente para cada etapa do Circuito), a banda carioca Scracho vem com seu rock juvenil e repleto de peso, garantido pela bela baterista Debora Teicher — ela acumula funções, já que irá apresentar a transmissão do festival para o canal Multishow. 

Os Raimundos abrem o Palco Circuito tomando como base para o show o segundo álbum%2C ‘Lavô Tá Novo’Divulgação


Às 20h, no Palco Circuito, tem Titãs, fazendo um apanhado da carreira, mas “enfatizando o lado
mais punk rock”, como diz o tecladista Sérgio Britto. “Tem ‘Bichos Escrotos’, ‘Polícia’ e uma
música que não tocamos há muito tempo, que é ‘Desordem’”, anuncia o músico. Às 21h30, logo na sequência, os nova-iorquinos do Yeah Yeah Yeahs trazem o som de seu disco mais recente,
‘Mosquito’, e de álbuns anteriores, tendo à frente a graciosa vocalista Karen O.

Fechando o palco, às 23h20, o mais esperado: todo o carisma dos Red Hot Chili Peppers. Mas a festa não acaba aí: o Palco Eletrônico abre às 0h50 e liga o som para o DJ alemão Tom Novy e o trio carioca Ask2Quit.

QUEM MENOS CORRE VOA

A Lei da Gravidade vira piada perto das manobras que vão rolar amanhã no Circuito Banco do Brasil. Além dos shows, está programada também a Copa Brasil de Skate Vertical. Realizada pela
Confederação Brasileira de Skate, ela distribui R$ 240 mil em prêmios e traz grandes nomes em
atividade. E ainda tem a novidade do tal half-pipe inédito, trazido pelo skatista Sandro Dias, o
Mineirinho. “Eu mesmo o criei e ele está dentro das dimensões atuais usadas no mundo todo.

O utilizamos na primeira etapa, em Salvador, e foi um sucesso”, conta Sandro. O vencedor de cada etapa ganha um prêmio em dinheiro de R$ 10 mil. O segundo lugar leva R$ 7,5 mil e o terceiro, R$ 5,5 mil. Há premiações para os 12 primeiros colocados e, entre elas, está o direito a uma vaga no Red Bull Vert Evolution, marcado para 15 de novembro, em São Paulo. 

Às 20h%2C no Palco Circuito%2C tem Titãs%2C fazendo um apanhado da carreira%2C mas “enfatizando o lado mais punk rock”Divulgação


O espaço não surge apenas para os profissionais. Além da competição, haverá escolinhas de skate com espaço para até 40 participantes. Quem quiser se testar na pista, com a coordenação dos skatistas Vitor Simão e Jorge Medeiros, é só comprar o ingresso e se inscrever às 14h30. Leve identidade e, claro, vá de tênis. Fora skate, o Circuito ainda tem uma galeria interativa
lembrando exposições trazidas pelo Banco do Brasil, além de instalações com imagens esportivas e uma área onde é possível pintar quadros digitais apenas com o movimento das mãos.

FUNK-ROCK NERVOSO E RADICAL

Quando os Red Hot Chili Peppers eram patrimônio de surfistas e skatistas, os fãs de rock ‘honesto’ do Brasil não ouviam o grupo. “A noite roqueira do Rio nos anos 80 estava toda voltada para o rock britânico”, lembra o DJ Wagner Fester. Na época, Flea e Kiedis tinham as companhias do baterista Jack Irons e do guitarrista Hillel Slovak.

John Frusciante e Chad Smith, na guitarra e na bateria, ingressaram em 1988 e, com eles, vieram o sucesso radiofônico e os shows no Brasil. Divulgando o disco mais recente, ‘I’m With You’, de 2011, o grupo já havia feito um show na  quarta edição do Rock in Rio, naquele mesmo ano. O álbum marca mais uma mudança na guitarra: Frusciante deu lugar a Josh Klinghoffer. 

SERVIÇO
Parque dos Atletas. Rua Salvador Allende s/nº, Barra da Tijuca. Amanhã, a partir das 14h. R$ 240. 16 anos. Saiba mais no site www.circuitobancodobrasil.com.br

Você pode gostar