Por daniela.lima

Rio - A história do Carnaval confunde-se, acredite, com a memória da presença dos judeus no Rio. Muitos deles eram moradores do berço do samba local, a Praça Onze, nos anos 20. É essa história que o bloco de Carnaval judaico Rancho Carnavalesco Praça Onze (ou Klezmer Carioca) quer trazer, unindo a música judaica à folia do Rio. Quer conhecer? A chance é domingo, no ensaio aberto no Teatro da Hebraica. 

O Rancho Praça Onze e João Roberto Kelly estão entre as atrações do domingoDivulgação


“A Tia Ciata (cuja casa era ponto de encontro dos sambistas na região) morreu em 1924 e muitos dos judeus que moravam por lá foram vizinhos dela. Klezmer é uma música judaica de festa do Leste Europeu, e unimos isso com a alegria do Carnaval carioca”, diz o maestro Ricardo Szpilman. Temas clássicos da cultura judaica, como o ‘Klezmeron’, surgem em versões de samba, marcha, ciranda e até funk.
Já o Carnaval tradicional tem vez, na Feira das Yabás, na Praça Paulo da Portela, que encerra o ano no domingo trazendo o Cordão da Bola Preta, com repertório de sambas e marchas. À frente do bloco, o rei das marchinhas João Roberto Kelly, autor de clássicos como ‘Cabeleira do Zezé’ e ‘Mulata Bossa Nova’.

TEATRO DA HEBRAICA. Rua das Laranjeiras 346, Laranjeiras (2557-4455). Domingo, às 14h30. PRAÇA PAULO DA PORTELA s/nº, Oswaldo Cruz. Domingo, às 13h.

Você pode gostar