Joyce lança o CD ‘Tudo’ e lamenta excesso de ‘música de Réveillon’ por aí

‘Hoje tem muito som para festa, para pular’, alfineta a cantora

Por O Dia

Rio - Acariciado por nomes como Caetano Veloso, o funk está entre os ritmos citados pelo letrista Paulo Cesar Pinheiro em ‘Quero Ouvir João’, parceria dele com Joyce Moreno, que está no novo CD da artista, ‘Tudo’ — lançado hoje e amanhã no Espaço Cultural Furnas, em Botafogo. A referência não é exatamente elogiosa, já que a letra diz: “É tanta barulheira/música de Réveillon”. 

Cantora decidiu lançar ‘Tudo’ no Brasil após votação em um show seuMyriam Vilas Boas


“Não tenho visto mais as pessoas tendo a experiência sensorial de ouvir uma música que interfere no pensamento”, diz. “Hoje tem muito som para festa, para pular. A música é como o alimento que você ingere. Se você só ouve ‘junk music’, vai perder parte da experiência.”

Lançado na Europa pelo selo Far Out, ‘Tudo’ sai aqui por escolha da audiência. Soltando um disco por ano fora do Brasil, Joyce ficou na dúvida entre o novo, de inéditas, e ‘Rio de Janeiro’, com regravações de voz e violão.

“Fiz uma votação num show meu e na internet, e as pessoas preferiram o de músicas novas”, afirma Joyce, que traz canções como ‘Boiou’, ‘Sem Poder Dançar’ (parceria com a sambista Teresa Cristina, que conheceu quando participou de um tributo a Clara Nunes em Brasília) e ‘Pra Você Gostar de Mim’ (parceria com Zé Renato, que está em seu CD ‘Dor de Amor é Água’). Nos shows, as novas encontram-se com sucessos como ‘Feminina’ e ‘Mistérios’.

Recentemente, Joyce participou de ‘A Vida Tem Sempre Razão’, CD-tributo a Vinicius de Moraes, cantando ‘A Felicidade’ com Roberta Sá. “Ela foi uma gracinha. Combinamos de irmos juntas assistir à Maria Creuza no Vinicius Bar”, lembra ela, que teve o texto de apresentação de seu primeiro disco escrito pelo Poetinha. “É engraçado ver um amigo chegar aos 100 anos. E ele era o mais moleque de todos nós.”

Últimas de Diversão