Os Morenos voltam após dez anos longe dos estúdios

Eles querem que Waguinho retorne ao grupo, mas acham que o pagode não combina com a religião do cantor

Por O Dia

Rio - O ano de 2014 vai ter um gostinho especial para o grupo Os Morenos. Depois de voltar, praticamente, ao anonimato após a saída do vocalista Waguinho, em 2001, a banda de pagode, que fez sucesso com hits como ‘Marrom Bombom’, ‘Amor de Verão’, ‘Mina de Fé’, ‘Tô Dentro Tô Fora’, ‘Tá a Fim de Sambar’ e ‘Olho Grande’, se prepara para lançar seu novo CD ao vivo: ‘Os Morenos — A Gente está Bem’, em março. Foram mais de 10 anos sem pisar num estúdio de gravação. 

Os Morenos voltam depois de dez anosDivulgação


“A gente escolheu esse nome justamente para mostrar que o grupo não acabou. Estamos por aí, batalhando, fazendo shows. Fizemos até o show da virada em São Pedro da Aldeia. Muitas pessoas acharam que a gente deixou de existir depois que o Waguinho saiu. Sempre que sai algum vocalista de um grupo, o restante fica sem destaque. Ninguém quer dar muita moral, principalmente a mídia”, argumenta Betinho, responsável pelo vocal e percussão do grupo.

Para retornar com a corda toda, os integrantes da banda até tentaram trazer o ex-vocalista Waguinho de volta. Mas a tarefa parece ser mais difícil do que eles imaginavam, já que o cantor se converteu à religião evangélica e não se permite ter uma vida como a que tinha antigamente.
“Eu tive uma conversa com ele há seis meses, porque vi que vários grupos como Pixote, Molejo e Katinguelê estavam voltando com força total. Percebi que também temos esse potencial para voltar às paradas de sucesso”, comenta o músico.

“Mas o Waguinho não disse nem que sim nem que não. Ele falou que ia consultar seus superiores da igreja. Ele até falou para mim assim: ‘Não posso mais cantar aquelas coisas do tipo ‘Tô Dentro, Tô Fora’ e ‘Todo mundo de olho na mina do cara’. A igreja não permite isso’. Aí, eu fui percebendo que uma hora ia ficar difícil de ele conciliar mesmo as coisas. A agenda dele é cheia de burocracias. Waguinho mudou muito, ele agora só joga bola de moletom para não mostrar as pernas e o corpo”, acrescenta.

Além de Betinho, Marcelo Moço, Gilmar PQD e Luizinho Moreno integram a banda. Mas ainda falta uma pessoa para o time ficar completo. “Se o Waguinho voltasse, seria perfeito. As nossas principais músicas de sucesso estão na voz dele. Mas do contrário, vamos tentar achar uma pessoa que toque bem um cavaco, um violão, que nos ajude na parte harmônica, na qualidade do som. E que seja um irmão também”, comenta Betinho.

O novo CD traz sete músicas inéditas e sete sucessos antigos do grupo. “É metade/metade para dar um equilíbrio e para as pessoas nos identificarem ali também. Nosso último sucesso foi ‘Amor Singular’, em 2001, e logo depois, o Waguinho saiu do grupo. Nesse novo álbum, colocamos essa música também. Agora, eu brinco dizendo que a gente vai recomeçar de onde a gente parou. A canção foi regravada com uma nova roupagem. Acho que o público vai adorar”, diz, confiante.

Últimas de Diversão