Por daniela.lima

Rio - Sabe aquela arena cultural ou aquele museu próximo à sua casa, mas onde você nunca pôs os pés? Pois é, projetos sociais que se proliferam pelo Rio querem que você os chame de seu. Para estreitar essa barreira vale qualquer iniciativa: cineclube, teatro, literatura e oficina — sempre de graça e com novas estratégias para atrair o público. Uma delas é a contação de histórias ‘Da Palavra ao Fio’, que estreia na terça, às 14h, na Biblioteca Popular da Tijuca, e nasceu para criar laços afetivos entre salas de leitura e os moradores de seu entorno. 

Grupo Os Tapetes Contadores de Histórias%2C que se apresentam gratuitamente em bibliotecas do municípioDivulgação


“Mais que dar incentivo, precisamos reconhecer que pertencemos a esses espaços”, diz Cadu Cinelli, diretor do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias, que vai narrar contos para crianças na terça-feira. Ele defende que é preciso criar um contato emocional entre espaços culturais e a população, para que a cultura e educação não sejam encaradas como obrigação.

Quem faz coro à ideia é Juliana Teixeira, idealizadora do ‘Passageiros do Futuro’, projeto com oficinas que resultaram na montagem da peça ‘O Gato de Botas’, encenada por jovens da Ladeira dos Tabajaras. Eles sobem ao palco do Instituto de Educação, na Tijuca, amanhã, às 15h. “A meta é introduzir a arte cênica na vida deles”, comenta ela. O plano não é só fazer com que assistam às peças, mas que façam espetáculos também. “Em geral, é um mundo novo para eles. Alguns até me perguntam se precisam usar uma roupa especial para ir ao teatro”, conta Juliana.

Como não basta montar um evento ou oficina, as estratégias para criar laços afetivos com o público são várias. Para quebrar o gelo, Cadu percorre as escolas no entorno das bibliotecas municipais onde se apresenta e faz o convite, além de parceria com os professores. Juliana também tem as escolas como apoio, e promove visitas guiadas a museus e teatros. Depois, começam oficinas como as de iluminação, maquiagem e figurino. Forma-se o elenco de uma peça, os ensaios começam e quem não sabia nem que roupa deveria usar para ir ao teatro acaba se tornando parte dele.

Outro que sacou que a interação é a alma do negócio foi Thiago Câmara de Paula, criador do ‘Cine — Clube Social’ junto a Jorge Conti. Percebendo que o cineclube itinerante fazia sucesso nas lonas e arenas culturais do Rio, eles inventaram uma forma de fidelizar ainda mais o público: iniciaram oficinas gratuitas onde as pessoas aprendem a fazer cinema com o que têm à mão.

“É bacana quando eles descobrem que podem fazer um filme até com o próprio celular”, comenta Thiago, que ressalta: “A programação precisa variar de acordo com os interesses das pessoas que vivem no entorno dos locais de exibição”, diz ele, atentando que só assim o público se sente parte desses projetos. “É gratificante ver a galera voltar ao cineclube e oficinas dizendo que começaram a buscar outros filmes por conta própria”, comenta ele. “Isso amplia o olhar dessas pessoas e muda a forma como veem o mundo ao redor”, conclui Juliana. 

PROGRAMA

CINE — CLUBE SOCIAL
Exibição de curta-metragens adultos e infantis. Lona Terra. Rua Marcos de Macedo,Guadalupe (3018-4203). Dia 26 de março, às 18h (infantil) e às 21h (adulta). Grátis. Arena Carioca Abelardo Barbosa. Rua Soldado Eliseu Hipólito s/nº, Pedra de Guaratiba (3404-7980). Dia 27 de março, às 10h e 14h (sessões infantis) . Grátis.

PASSAGEIROS DO FUTURO
Projeto com oficinas que ensinam jovens a fazer teatro, dos bastidores ao palco. O resultado foi a peça ‘O Gato de Botas’, sobre um gato falante, que ajuda o seu dono a enriquecer. Instituto de Educação. Rua Mariz e Barros 273, Tijuca (2565-7960). Amanhã, às 15h. Grátis.

DA PALAVRA AO FIO
O grupo Os Tapetes Contadores de Histórias promove a integração entre bibliotecas e suas vizinhanças com narração de contos para crianças. Biblioteca Popular da Tijuca. Rua Guapeni 61 (2204-0752). Terça, às 14h. Grátis. Biblioteca de Campo Grande. Praça Telmo Gonçalves Maia s/nº (3394-5509). Grátis.

Você pode gostar