Por daniela.lima

Rio - Desde que estreou como a Clara na novela ‘Em Família’, a pergunta que Giovanna Antonelli mais ouve é se o assédio feminino aumentou em sua vida. “Nunca fui cantada por mulheres, mas, se acontecer um dia, vou achar natural”, ela avisa. Sem medo de polêmicas, a atriz se diz preparada para o que vier pela frente e está amando o debate nas mídias sociais gerado pelo envolvimento de sua personagem com outra mulher. Aliás, se na novela ela está em crise com o marido, Cadu, vivido por Reynaldo Gianecchini, no cinema é ele quem a salva de um relacionamento frustrado, em ‘S.O.S. — Mulheres ao Mar’, com estreia marcada para a próxima quinta-feira. 

Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini como Clara e Cadu%2C na novela 'Em Família'Divulgação


“Já é o quinto casal que faço com o Giane! Ele é amigo da vida profissional, pessoal, além de meu sócio no restaurante”, comenta ela, referindo-se ao Pomar Orgânico, especializado em alimentação natural, inaugurado no mês passado, na Barra da Tijuca. Giovanna é assim: não consegue ficar parada e está sempre inventando algo novo. “Acabei ‘Salve Jorge’ no ano passado, uma semana depois comecei a filmar ‘S.O.S...’ e depois já emendei na novela”, conta a atriz, que, agora, acompanha a torcida na internet, batizada de ‘Clarina’, para que sua personagem no folhetim se renda aos encantos de Marina, papel de Tainá Müller.

“Não torço para nenhum lado. Não tenho isso com meus personagens, pois sei que a história pertence ao autor”, garante Giovanna, que não é a única ligada na campanha dos espectadores. Tainá Müller também tem se surpreendido com o retorno do público. “Esses dias andava no shopping quando três senhorinhas de idade pediram para tirar foto. Uma delas, na hora de me abraçar, falou em tom de brincadeira: ‘Ela vai trocar a Giovanna Antonelli por mim!’. Nesse momento, pensei que algo realmente pode estar mudando na mentalidade do brasileiro”, avalia Tainá.

Manoel Carlos, autor da trama, também está todo prosa, e garante que uma linda história de amor entre as duas vem por aí, com tudo a que tem direito: “Dias felizes e infelizes, alegrias e dores, ganhos e perdas, tapas e beijos”, lista o novelista, que sabe exatamente por que escalou Giovanna para dar vida a Clara. “Sempre que tenho um papel polêmico, o primeiro nome do qual me lembro é o da Giovanna”, diz ele, que acredita que assim foi com a Capitu de ‘Laços de Família’ e assim será com a Clara de ‘Em Família’.

“Foi o Maneco quem me deu meu primeiro grande papel (Capitu). Ele me chamou para fazer ‘Viver a Vida’, e foi assim que conheci o meu marido (o diretor Leonardo Nogueira). Não poderia estar de fora dessa última novela dele”, comenta a atriz sobre a parceria com o autor. A cineasta Cris D’Amato é outra parceira de longa data de Giovanna e responsável pelo seu quinto par romântico com Gianecchini, em ‘S.O.S. — Mulheres ao Mar’. Para rodar a história, em que vive uma mulher abandonada pelo marido e capaz de qualquer loucura para reconquistá-lo, a atriz deixou os três filhos pequenos no Brasil e embarcou em um cruzeiro até a Itália. 

Giovanna Antonelli com Luigi Baricelli%2C como a personagem Capitu na novela 'Laços de Família'Divulgação


Foram 22 dias em em alto-mar até aportar na Europa. “Quando chegamos na Itália, peguei um avião de volta para cá, porque não dá para ficar tanto tempo longe das crianças (Pietro, de 9 anos, fruto de sua união com o ator Murilo Benício, e as gêmeas Antônia e Sophia, de 3 anos, de seu casamento com o diretor Leonardo Nogueira). Depois de três dias, voltei e terminei as filmagens”, lembra-se a atriz. Com essa rotina frenética, engana-se quem acha que ela sonha com as férias. “Quando estou no caos, penso: ‘Um dia de cada vez e vamos lá’”, confessa, rindo de si mesma.

Com esse lema, ela se desdobra entre as gravações no Projac, a divulgação do novo filme, a família, os amigos e seus negócios — é dona de uma linha de óculos de sol, de esmaltes, de joias e é sócia da clínica de depilação GioLaser e do restaurante Pomar Orgânico. “A única coisa que sei é: o que eu fizer será bem feito”, ressalta. Otimista, a atriz garante que não existe estresse ou tempo ruim para ela, que está sempre de bem com a vida. “Não fico para baixo, nem tenho referência do que é isso”, assegura.

O que a instiga mesmo é estar sempre criando algo novo. E ela não se conforma apenas com o que lhe é apresentado. Giovanna faz questão de acrescentar coisas suas aos seus personagens. Tanto que costuma levar objetos de seu próprio guarda-roupa para o set. Foi assim em ‘Salve Jorge’, quando roubou a cena com o figurino extravagante da delegada Helo — que sempre usava acessórios chamativos, como uma capa de celular em formato de soco inglês dourado (sugestão da atriz) e estampas de bichos nas roupas. Agora, não está sendo diferente, e os macacões e o franjão de Clara já caíram nas graças do público da novela. “Não sou uma fashionista, mas fico atenta e sempre tento aperfeiçoar esse lado. Adoro isso!”, confessa Giovanna, que mais uma vez incorporou detalhes sugeridos por ela a uma personagem sua, como a capa de celular em forma de boca usada pela dona de casa na atual trama das 21h. Mais uma que promete virar tendência.

Mesmo tendo que administrar o restaurante, gravar a novela, divulgar o novo filme, cuidar dos três filhos e da casa, ela ainda arruma tempo para sonhar com outros trabalhos. “Eu tenho vontade de fazer tanta coisa! Principalmente um papel tipo o da Heleninha Roitman, sabe? E trigêmeas eu também adoraria fazer. Imagina que loucura deve ser!”, planeja a atriz.

Você pode gostar