Cantora mineira Beatriz Rodarte estreia no Rio no bar do filho de Beto Guedes

Show será nesta sexta, no Godofredo Rio, filial carioca do badalado espaço de Belo Horizonte

Por O Dia

Rio - A cantora mineira Beatriz Rodarte faz show hoje no Godofredo Rio, filial carioca do bar de mesmo nome pilotado por Gabriel, filho do Beto Guedes. No show, ela apresenta seu CD 'Natural', lançado recentemente, e destaca três músicas inéditas que o legendário compositor Carlos Colla fez especialmente pra ela, tem além de algumas interpretações de clássicos do Clube da Esquina mineiro, claro.

Beatriz Rodarte faz show no Godofredo Rio nesta sexta-feiraDivulgação

Muito se fala do legendário Clube da Esquina. Como anda a cena musical de Belo Horizonte hoje? Há esperanças de que uma nova cena encante o Brasil como aquela que aconteceu nos anos 70?

Beatriz Rodarte: Eu participei de alguns projetos de música independente e sempre que posso faço encontros musicais em Belo Horizonte, o que me permite estar antenada no que tem de novo! O que posso dizer é que a fonte não seca! Muita gente talentosa, compondo e cantando bonito! Eu acredito na musicalidade do mineiro, a gente respira música e as montanhas inspiram! Como o mercado musical mudou muito daquela época pra cá e hoje a associação a grandes gravadoras diminuiu, estes novos artistas só podem ser vistos na internet, mas esta nova geração já está aí é só procurar!

Você hoje mora no Rio, o que acha do cenário musical daqui?

BR: Eu morei em BH praticamente a minha vida toda, há quatro anos me mudei para São Paulo e em novembro decidi ter um novo endereço aqui no Rio. Mas transito nos três lugares. O Rio é um lugar comunicativo, os artistas são abertos a novas parcerias, a compor, cantar junto, gosto disso! Tenho encontrado novos parceiros e estou empolgada com o que está por vir. Sobre os shows ainda é muito cedo pra dizer, este é o meu primeiro show na cidade.

É possível despontar no cenário nacional sem sair de Minas Gerais? Tem que sempre ir pra São Paulo ou Rio?

BR: Eu acredito que para se destacar o artista tem que transitar, tem que conhecer novos públicos, ampliar seus contatos e entender como funciona a dinâmica dos shows em cada cidade. Ter saído de Minas foi primordial para o meu crescimento artístico e profissional. Mas o bom filho sempre retorna à casa, eu sempre estreio meus shows em Belo Horizonte e tenho um orgulho enorme de ter começado minha carreira lá, falo muito de Belo Horizonte sempre nos shows, sou uma mineira bairrista!

Você é amiga dos "herdeiros" do Clube, como Gabriel Guedes e Rodrigo Borges? Já trocaram figurinhas musicais?

BR: Sou amiga dos dois! O Gabriel encontro mais, sempre que nos vemos damos um jeito de musicar! Ele tem um projeto chamado "Um Piano em Cada Praça". Ele coloca pianos em locais públicos abertos a toda população. E realizamos juntos um show em São Paulo recentemente, colocamos um Piano na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, foi um show super especial!

E com os mestres Milton, Lô e Beto, você já chegou a cantar junto?

BR: Quando integrava o grupo Tambor Mineiro cheguei a fazer apresentações com participações do Milton, mas no meu trabalho solo nunca, é um sonho! Com o Lô creio que o sonho vai se realizar logo, ele já topou e possivelmente faremos um show este ano!

Últimas de Diversão