Marky Ramone e Michale Graves levam público ao delírio em show na Lapa

Platéia cantou junto com a banda. Grupo não desapontou e tocou os maiores clássicos dos Ramones

Por O Dia

Rio - Um dos mais lendários bateristas do rock n' roll se apresentou no final da noite desta quarta-feira, no Teatro Odisséia, na Lapa. Marky Ramone e o ex-Misfits Michale Graves fizeram o público reviver um pouco do punk rock. Com um set list fulminante e muita presença de palco, o grupo tocou clássicos como “Do you Wanna Dance”, “Commando”, “Gimme Gimme Shock Treatment” e “Cretin Hop”.

Os fãs que esperavam ansiosos para ver a apresentação enlouqueceram ao ver Marky entrar no palco e começaram a entoar "hey, ho, lets'go". Michale Graves foi muito simpático com a plateia e, em seguida, como todo bom vocalista de punk rock foi rápido, preciso e direto ao ponto.

Marky Ramone leva público ao delírio em show na LapaReprodução Internet


A banda abriu o show com “Rockaway Beach” e seguiu com “Lobotomy” e “Sheena is a Punk Rocker”. Como de costume em todos os shows dos Ramones as músicas foram emendadas pelo clássico “1 2 3 4” imortalizado pelo baixista DeeDee Ramone.

Com a mesma formação que tocou no Rock in Rio 2013, a Marky Ramone’s Blitzkrieg passa pela América do Sul. O grupo não deixou nada a desejar, o som da casa sim. O microfone de Graves estava baixo e na segunda música, “Lobotomy”, tiveram problemas técnicos. A bateria de Marky e o baixo mereciam mais atenção, mas nada que os músicos não tenham superado com brilhantismo e nem que a maior parte da audiência tenha percebido.

A plateia ficava bem próxima ao palco e Graves cumprimentou a audiência diversas vezes, chegando a abraçar uma fã emocionada. A banda fez uma pequena pausa para o vocalista assumir o show sozinho, acompanhado apenas por seu violão. O ex-Misfits tocou “Dig up Her Bones” e “Saturday Night”, num momento intimista do show.

O show pode ter ficado menos movimentado na parte acústica, mas nem um pouco desanimado, o público cantou o tempo inteiro. Quando a banda retornou ao palco, Marky foi à frente e disse “Michale Graves, o melhor que o Misfits já teve”, elogiando o amigo.

O grupo terminou o show com a versão rock n' roll de “What a Wonderful World” dos Ramones, seguida da mais esperada “Blitzkrieg Bop”, deixando a audiência extasiada.

Últimas de Diversão