Por clarissa.sardenberg

Rio - Caio Castro voltou ao olho do furacão. O fato de ele ter se recusado a fazer algumas novelas na Globo — uma delas é a próxima das 18h, ‘Boogie Woogie’ — teria queimado o filme do ator na emissora. Mas Caio minimiza a situação e explica que, por hora, quer se dedicar ao cinema. “Eu caí de paraquedas nessa profissão. Comecei em ‘Malhação’ (2008) e não parei mais. Não tive tempo para as minhas escolhas. Desde o final de 2009, estou tentando fazer um filme e, agora, descobri que o cinema me dá muito tesão. Recebi cinco convites para novelas e não fazer foi uma posição profissional apenas. Resolvi seguir meu coração. Novela só em 2015”, justifica o ator, que acaba de lançar o longa ‘A Grande Vitória’, de Stefano Capuzzi Lapietra, e está em Salvador filmando ‘Travessia’, do baiano João Gabriel.

Caio Castro está fazendo sua estreia no cinema com o longa 'A Grande Vitória'. Ele diz que só voltará a fazer novela em 2015Divulgação

Em sua estreia na sétima arte, ele faz o judoca Max Trombini, inspirado na história real de um atleta abandonado pelo pai, que encontrou no esporte a superação para os seus problemas e que descobriu a paternidade no auge da carreira.

Caio quase enfrentou uma questão parecida, não fosse a notícia da suposta gravidez de Carolina Bianchi, que apontava o ator como pai da criança, uma farsa inventada por ela. “Teve uma pessoa com problema mental, doente, que se dizia estar grávida de mim. Depois, a família dela a internou e me pediram desculpas. Daí eu disse: ‘Resolvam o problema de vocês porque isso está me prejudicando. As pessoas estão achando que eu vou ser pai. A galera ‘viajou’...”, esclarece.

Para interpretar um judoca nas telonas, Caio dispensou preparador de elenco, dublê e morou por três meses com Max Trombini, em São Paulo, com quem treinou judô. O desgaste físico do treinamento de atleta foi inevitável. “Se uma entrada de golpe dói, imagina cinquenta num dia? Machuca, lógico, só que na hora eu só pensava na vontade de estar na pele do Max. Eu sabia que tinha que dar o meu melhor, na dor ou no amor”, conta.

Carismática na TV%2C Sabrina Sato tenta%2C mas não convence em seu primeiro papel dramático no cinemaDivulgação

Na história, ele contracena com Sabrina Sato. “Aproveitei para beijar o Caio. Ai, meu Deus! Meu namorado (João Vicente de Castro) vai me matar”, brinca a apresentadora, às gargalhadas. Difícil imaginar a japa num papel dramático no cinema. Sabrina até que tentou transparecer a emoção da personagem Alice, e emprestou seu apartamento, em São Paulo, para a cena de sexo com o ator. “Meu apartamento não é luxuoso igual ao desse povo de TV, é tudo jogado, parece de estudante”, exagera ela, que admite ter sentido um certo constrangimento nas cenas de mais intimidade: “Claro que deu uma vergonha, mas o Caio é f... Muito profissional e foi bem generoso comigo. Sou tímida mesmo, mas tem que encarar a personagem, né? Minhas amigas brincaram: ‘Essa foi a participação da sua vida’”, faz piada. E o beijo, segundo ela, foi para valer, não teve nada de técnico: “Tentei fazer o mais real possível, porque acho horrível aquele beijo sem paixão que a gente vê por aí”.

Moacyr Franco, que faz o avô do judoca Benedito, Suzana Pires, que interpreta a mãe dele, Tereza, e Tato Gabus Mendes, o Sensei Josino, são outros destaques da produção. O apresentador do SBT, Ratinho, faz um ponta.

Você pode gostar