Existe moda além do manequim 42

Blogueira gordinha, Ju Romano conquista legião de fãs com personalidade, atitude e estilo

Por O Dia

‘Quando eu sou vaidosa%2C estou negando o que me é imposto e assumindo que eu posso ser linda do meu jeito’%2C afirma Ju RomanoDivulgação

Rio - Quem acompanha as redes sociais já deve estar familiarizado com as hashtags #ProjetoVerão #DietaDukan #ProjetoCarolBuffara e #GeraçãoPugliese. No entanto, Juliana Romano, de 24 anos, prova que não é só da busca pela barriga negativa que vivem o Facebook e o Instagram. Sua página ‘Entre Topetes e Vinis’ (https://juromano.com/) já soma mais de 50 mil curtidas e seu site homônimo virou referência e promoveu a paulista ao status de ícone fashion plus size na rede.

“Sempre tive um estilo próprio e as minhas amigas me pediam conselhos de compras ou do que vestir. Resolvi reunir tudo que eu gostava em um blog. Com o tempo, por ser gorda, as pessoas colocaram o rótulo ‘blog plus size’, mas mal se ouvia falar isso quando eu comecei. Hoje em dia conseguimos difundir bastante a ideia da aceitação, de amor ao corpo e de autoestima”, diz.

Em seu site, na Seção ‘Gorda Pode?’, Ju Romano, como ficou conhecida, dá dicas quentes de beleza e moda para as gordinhas. Lingerie, tubinho, body, vestido longo, biquíni, barriga de fora... ela cativou milhares de meninas acima do peso dito ideal mostrando que dá pra usar tudo aquilo que muita gente diz que gorda não pode.

“Para mim, vaidade vai totalmente contra a indústria. Quando eu sou vaidosa, estou amando o meu corpo, estou negando tudo que me é imposto e assumindo que eu posso ser linda do meu jeito”, afirma ela.

Quem escuta o discurso confiante de Juliana nem desconfia dos anos infelizes que viveu na adolescência por conta de sua obsessão com o corpo. “Passei um ano só pensando em emagrecer. Eu respirava achando que puxar e soltar o ar estava queimando calorias. Parei de comer e, quando comia, vomitava. Cheguei a vestir 36, hoje visto 50. Foi um período muito triste. Achei que ficar magra me faria mais feliz, sociável, querida e amada, só que, na verdade, foi totalmente o contrário”, conta ela.

Muito mais feliz hoje em dia, Ju agora ajuda outras meninas a encontrarem a beleza longe dos padrões. “Acho que sou uma porta-voz de uma parcela da população feminina que está cansada de obedecer regras sem fundamento. É inexplicável o sentimento de felicidade quando recebo um recado de alguma leitora dizendo que eu consegui abrir seus olhos !”, afirma, satisfeita.

Últimas de Diversão