Por daniela.lima

Rio - Os indies piram. Depois da catártica passagem dos escoceses do Jesus and Mary Chain pelo Rio, na terça-feira, outro grande nome desse gênero do rock se apresenta na cidade: o grupo americano Yo La Tengo, que faz show hoje no Circo Voador.

Georgia Hubley (E)%2C James McNew e Ira Kaplan formam o Yo La TengoDivulgação


É a terceira vez da banda no Brasil e a segunda no Rio (a primeira foi em 2001, no extinto Ballroom). “Aquele foi o primeiro show da turnê e o pior deles. Foi bem difícil aquela noite”, conta Ira Kaplan (guitarra, piano e vocal), que forma a banda com a mulher, Georgia Hubley (bateria, piano e vocal), e James McNew (baixo e vocal).

“Chegamos e fomos andar na praia. Fizemos algumas coisas turísticas. Lembro que teve um papo de ir num ensaio de escola de samba, mas acabou não acontecendo”, recorda ele. “Para mim, Georgia e James, é muito especial sermos lembrados de que nosso trabalho toca tanta gente, especialmente em lugares tão longe”, diz Kaplan.

Criado em Hoboken, Nova Jersey (a cidade de Frank Sinatra), o grupo comemora 30 anos, uma marca especialmente impressionante para quem nunca atingiu o sucesso comercial. “Somos muito fãs de música e observamos muito os artistas que admiramos. Eu adoro Beatles e Rolling Stones tanto quanto todo mundo, mas adoro bandas como o Television, que nunca se tornou um grande sucesso. Então, isso nunca foi tão importante para a gente”, explica Kaplan. “Claro que nunca imaginei que a banda fosse durar tanto. A gente começou sem qualquer tipo de expectativa.”

Ele garante que o fato de estar há tantos anos trabalhando ao lado da mulher não é complicado. “Acho que isso fortalece o relacionamento fora do âmbito profissional. Em geral, pessoas que amam a própria profissão são muito ligadas aos colegas de trabalho”, defende. “Além do mais, acho melhor uma banda que tem casal do que quatro caras competindo dentro do grupo.”

O repertório do show é calcado no álbum ‘Fade’ (2013), mas os fãs podem esperar músicas de outros discos e covers. “Vamos nos concentrar nas canções do ‘Fade’, mas vai ser um mix. Nunca fazemos uma apresentação igual a outra. Gosto quando vou a um show e me surpreendo, então procuramos fazer o mesmo.”

Você pode gostar