Grupo Tambor Carioca faz festa junina no Teatro Rival

Amanhã, Dia de São João, bloco anima o público com 'arraiá', clássicos da múscia nordestina e oficina de percussão

Por O Dia

Rio - Amanhã, Dia de São João, o Tambor Carioca une Copa do Mundo, festa junina e Carnaval no palco do Teatro Rival. E a mistura não para por aí. Nessa festa, que começa às 19h30, ainda há espaço para o público virar músico.

“Vamos fazer não só um show, mas também uma oficina de percussão, que é uma das marcas do Tambor Carioca. Antes de subirmos ao palco, disponibilizaremos alguns instrumentos, como ganzá, pandeiro, surdo e agogô, e, em seguida, vamos ensaiar uma música com a galera que quiser participar desse exercício”, conta Patrícia Mauro, vocalista do grupo, que dá aulas desde que ele foi criado, há nove anos, na escola Maracatu Brasil, em Laranjeiras. A oficina será ministrada por Sérgio Conforti, com participação dos dos integrantes do bloco.

Nas apresentações do Tambor Carioca, formado por Patricia e mais 12 músicos, diversos ritmos brasileiros têm lugar cativo. Mas, amanhã, o Nordeste terá mais destaque. “Além do samba, sempre tocamos baião, xote, maracatu, mas, por ser dia de São João, a ideia é privilegiar a música nordestina, até porque nós queremos que os turistas que estão na cidade por causa da Copa do Mundo conheçam o que se toca em um arraiá. O Brasil não é só samba. Vai ser uma festa bem brasileira”, adianta a cantora.

Patrícia Mellodi (E)%2C Patrícia Mauro e Patrícia Ferrer%2C cantoras do Tambor Carioca%2C soltam a voz no RivalDivulgação

No repertório, sucessos como o baião ‘Anunciação’, de Alceu Valença, e o xote ‘Esperando na Janela’, de Gilberto Gil. Mas isso sem perder o sotaque carioca que é a marca do grupo. “Os shows do Tambor Carioca são para todo mundo dançar, cantar e até tocar junto. Animação é a nossa especialidade”, garante Patrícia Mauro.

Reportagem Regiane Jesus

Últimas de Diversão