Por daniela.lima

Rio - O Complexo de Manguinhos acaba de ganhar um cinema para chamar de seu. Localizado na Biblioteca Parque da região, o Cine Teatro Eduardo Coutinho é inaugurado hoje e traz uma programação fixa a partir de amanhã, com ingressos a preços populares. Mas se engana quem acha que a história acaba só com filme e pipoca. A palavra de ordem por lá é troca.

Cinema da Biblioteca Parque de Manguinhos (acima) inaugura hojeReprodução


A ideia é estabelecer vínculos e diálogo com o público. Para isso, além das sessões diárias, um cineclube mensal proporcionará projeções com encontros e debates com diretores. Junto à sala, nasce também o projeto Favela Criativa, da Secretaria de Estado de Cultura, que visa à formação artística e à especialização em gestão cultural a partir de diálogos com os jovens.

“O espaço pode assumir vários formatos e também vai funcionar como escola de projeção digital e 3D”, diz a secretária de Estado de Cultura, Adriana Rattes, ressaltando o crescimento dessa área de mercado. “As salas de cinema nas periferias da cidade são superimportantes. Não precisa pensar muito para saber que falta cinema nesses lugares”, diz ela, lembrando que o espaço também servirá como teatro e que todos os moradores de Manguinhos pagam meia-entrada.

“A nossa ideia é fazer o público local se identificar e criar o hábito de frequentar o lugar”, explica Tatyana Paiva, gestora do cinema. “Há muitos grupos da região que realizam trabalhos por lá, podemos organizar algumas sessões do cineclube com eles”, arrisca ela. Já o plano imediato para a programação fixa é oferecer blockbusters e produções mais autorais, para agradar a todos os gostos.

“Primeiro, precisamos conquistar o público. Por isso, faremos uma pesquisa para saber o que eles mais querem assistir”, comenta Tatyana. A proximidade com a biblioteca também promete influenciar a programação. “Temos uma liberdade muito grande de dialogar com a vida cultural que já há ali com as atividades da biblioteca. Estamos atentos às adaptações literárias”, alerta a gestora.

Você pode gostar