Por daniela.lima

Rio - Os gritinhos de dor e a cara de espanto anunciam: tem gringa fazendo depilação. Por conta da Copa do Mundo, os salões têm recebido um número maior que o de costume de estrangeiras querendo experimentar a famosa ‘brazilian wax’, no Brasil conhecida como virilha cavada. Mas, diferentemente das brasileiras, que estão mais que acostumadas com a técnica, as gringas piram quando a cera quente se aproxima. “Stop, please” e “Oh, my god” são frases que qualquer depiladora que não fala inglês já consegue entender.

A nova-iorquina Hannah S., 21 anos, que está passando uma temporada no país, já experimentou o momento de tensão ao deitar na temida maca para se depilar. “Dói muito. Já é a terceira fez que faço, mas sempre dói. Nem todos os lugares do mundo usam cera, mas eu prefiro essa técnica aqui no Brasil, dá para ver que as pessoas são mais profissionais”, conta Hannah, que aprova o visual. “Hoje vou para um churrasco, não vou encontrar ninguém. Mas acho, sim, que muita gente aproveita a depilação para fazer outras coisas”, diz Hannah, timidamente. “Até que a Hannah ficou tranquila”, elogia a depiladora Gisele Pereira, do Pello Menos de Copacabana.

Outra depiladora da rede, Mariana Ribeiro confessa que se assusta com as reações das estrangeiras. “Elas sentem muita dor, gritam muito. Geralmente, vêm com outras amigas, e tenho certeza de que elas ficam xingando na língua delas”, diverte-se Mariana. “Muitas pedem para eu parar. Outras até choram. Teve uma que veio com uma tradutora e ela me falou que a cliente não estava aguentando. Mas fiz com jeitinho e deu certo. Quando elas veem o resultado, ficam encantadas”, acrescenta a profissional.

Semana passada, a comerciante Ana Costa chegou a se assustar diante dos berros em um salão de beleza no Largo do Machado. “Divertido mesmo é ver as gringas aos gritos e saindo com caras de sofrimento após experimentarem a ‘brazilian wax’”, comentou Ana. “As estrangeiras são muito diferentes das brasileiras. Elas ficam com cara de assustadas, como se fosse algo de outro mundo. Elas geralmente pedem virilha cavada, que tira os pelos do contorno do biquíni, entra nos grandes lábios e tira do ânus também. Mas elas são muito peludas. A gente fica até assustada, achando que não vai conseguir tirar aquela quantidade de pelo”, conta Mariana.

Já a argentina Maria Santana, de 19 anos, garante que que vale a pena passar pelo sofrimento: “Vim curtir a Copa do Mundo e aproveitei para experimentar a depilação daqui. Senti muito dor na primeira vez, mas adorei. Arranjei um namorado espanhol e ele também gostou. Nunca fiz nenhum desenho especial, só deixo um pouquinho de cabelo mesmo. É uma pena que perto da minha casa não tenha esse tipo de depilação.”

Você pode gostar