Machado de Assis ganha homenagem na Gamboa

Três contos do escritor são dramatizados em espetáculo gratuito que reúne teatro, música, dança e gastronomia na Zona Portuária

Por O Dia

O flautista Antonio Carlos Carrasqueira é um dos destaques da peçaDivulgação

Rio - Uma grande mistura. Assim pode ser definido o espetáculo ‘Uma Janela para Machado de Assis’, que acontece hoje no bar Trapiche Gamboa, às 20h. No mês de aniversário do escritor, nascido em 21 de junho de 1839, o espetáculo reúne teatro, música, dança e gastronomia. “Nosso maior objetivo é deixar o público em contato direto com a obra de Machado. Por isso, os contos ‘O Machete’, ‘Pai Contra Mãe’ e ‘Terpsícore’, que compõem a peça, são lidos exatamente como foram escritos”, diz Kátia Brito, roteirista e diretora da montagem.

Nos números musicais, que passeiam pelo popular e o erudito, o público vai ouvir ritmos como samba e choro, tanto em canções atuais como do século 19. À frente dos músicos está o flautista e compositor Antonio Carlos Carrasqueira. “Machado amava música, então esperamos tocar o coração dos fãs da sua obra. Temos músicos muito talentosos na peça e ainda contamos com a participação do Jongo da Serrinha. Mas o melhor é que a flauta voltou à moda”, brinca Carrasqueira, em referência à novela ‘Em Família’, onde o instrumento é tocado por Laerte (Gabriel Braga Nunes).

E o cenário onde tudo acontece não poderia ser mais apropriado. Afinal, o imortal veio ao mundo na Gamboa. “Escolhemos o Trapiche por ser um bar popular, pela sua arquitetura, que é de 1870, ou seja, da época de Machado. E, de quebra, o escritor é cria desse lugar”, comenta Brito.

Nessa homenagem ao mestre da literatura brasileira também há espaço para gastronomia, com direito a degustação gratuita do prato preferido do escritor. “Vamos servir arroz doce para o público”, conta Kátia Brito, que acredita que um dos pontos altos do espetáculo está em sua atmosfera carioca. “‘Uma Janela para Machado de Assis’ é a cara do Rio porque tem alegria, beleza, cultura e uma animada roda de samba”, descreve a diretora. A montagem, com entrada franca, tem apresentação única hoje.

Reportagem: Regiane Jesus

Últimas de Diversão