'Em Hollywood, você não pode demonstrar fraqueza', diz Megan Fox

Desencanada, a atriz não se importa por ser uma garota gostosa, diz que tem a mente aberta e se consagra como musa nerd no filme ‘As Tartarugas Ninja’

Por daniela.lima

Los Angeles - Por trás dos super-heróis, há sempre uma grande mocinha. Em ‘As Tartarugas Ninja’, superprodução que estreou ontem nos EUA e chega quinta-feira ao Brasil, não é diferente. E a heroína humana por trás dos apaixonantes répteis mutantes é ninguém menos que a musa nerd Megan Fox, revelada em 2007, em ‘Transformers’. 

Confira a galeria: Megan Fox brilha em ‘As Tartarugas Ninja’

Megan Fox no tapete vermelho de ‘As Tartarugas Ninja’ na estreia nos EUADivulgação e Reuters


Não podia ter escolha melhor para atrair os fãs da série que ganhou o mundo nos anos 80: fã de quadrinhos e videogames, Megan adora filmes como ‘Aracnofobia’ (“um clássico!”), a trilogia ‘Senhor dos Anéis’ e conta que teve até uma lancheira das tartarugas. “Eu não tinha muito dinheiro para ter as coisas. Minha educação foi rígida. Tinha alguns brinquedos, mas eram limitados e passavam pela aprovação dos meus pais. Em geral, eram bonecas, como a Moranguinho. Vi ‘As Tartarugas Ninja’ pela primeira vez com minha irmã mais velha e assisti a todos os outros filmes com o meu marido”, conta ela, em entrevista ao DIA, em Los Angeles.

No filme de ação, Megan contracena com Will Arnett (conhecido no Brasil pela série ‘Arrested Development’) e com as tartarugas em versão ultramoderna, feitas através da técnica de captura de movimentos. “Não sou óbvia. Estou nessa porque amo esses filmes! Não sofro pensando se vou ser indicada ao Oscar, não ligo a mínima para isso. Só quero me divertir, gosto de ser sincera e acho que minha carreira reflete isso”.

Sua beleza é explorada, claro — numa cena frenética de perseguição, aparece um close de seu bumbum — e é para isso que está lá. “Nem ela se leva a sério. Foi só uma brincadeira sobre quem ela é”, defende o diretor Jonathan Liebesman. “Não vejo mal nenhum”. 

Megan em cena do filme ‘As Tartarugas Ninja’Divulgação e Reuters


Acostumada a estar nas listas das atrizes mais sexies das revistas, Megan endossa. “Sou liberal, mente aberta. E levo isso para a educação dos meus filhos. Quero dar suporte a eles. Não quero que sejam iguais a mim, pois podem ser tão melhores”, explica a atriz de 28 anos, mãe de Noah, de 1 ano e 10 meses, e Bodhi, de 5 meses. “É claro que eu quero ser levada a sério, mas não preciso ficar pedindo. Por ser mulher, sou mais cobrada, pois é assim que funciona na nossa sociedade. Apesar disso, não tenho que ficar provando nada. Hollywood mudou ao longo dos tempos os papéis destinados a mulheres, não tem mais só os tipos idiotas.”

Nascida no Tennessee, ela pode ser considerada uma garota do interior. Mas odeia hipocrisia e tenta ser natural. ‘Tenta’ porque dá para perceber que já está bem treinada para lidar com jornalistas. Ela defende a atração por pessoas dos dois sexos, já assumiu que fumou maconha e não entende o espanto em torno de suas declarações. “Cresci enfrentando a autoridade masculina, desde a infância. E é uma das coisas com que tenho que me deparar até hoje, em todos os setores da minha vida. Hollywood é praticamente dirigida por homens e você não pode demonstrar nenhuma fraqueza como mulher. Só que seu corpo é diferente. Não estou falando de sexualidade e, sim, sobre sua condição. Você pode ter um desconforto e precisar ficar cinco minutos no seu trailer. Já os homens não têm que lidar com isso”. 


No papel de April O’Neil, repórter destemida, órfã de pai (o criador das tartarugas de laboratório), Megan ajuda a salvar Nova York do grande vilão da história, mas diz que jamais seria jornalista. “Não teria como, é uma coisa que você tem que ser apaixonada por. Além disso, vocês têm que se expor à mídia de celebridades e não tenho o menor interesse nisso. Não sinto que meu cérebro esteja preparado para esse tipo de informação, não gosto de ficar exposta a energia negativa, comum nesse meio. Gosto de positividade”.

Usando um vestido curto branco, com detalhes em preto, Megan é fã do salto alto, abusa do rímel e da maquiagem natural, mas diz que não liga para aparência e muito menos para moda: “Não me envolvo nem com os figurinos das personagens. Sei que alguns atores gostam, mas não tenho o hábito. Há gente muito bem paga para esse trabalho.”

Karla Rondon Prado viajou a convite da Paramount Pictures

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia