Por daniela.lima

Rio - Em algumas horas, Edmilson Filho vai descobrir se ‘Cine Holliúdy’ — filme em que é protagonista e produtor associado — vai levar algum troféu das dez categorias a que concorre no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. “Se eu ganhar, dou até um mortal no palco do Theatro Municipal”, promete o ator, para a cerimônia desta noite. Não é para menos. A carreira dele deslanchou após protagonizar a comédia cearense. Choveu proposta de trabalho em sua horta. E dessa colheita vêm novos filmes, programa na TV, na internet e teatro.

Ator Edmilson Filho em cena da comédia que protagonizou no cinema%2C ‘Cine Holliúdy’%2C de Halder GomesDivulgação


Além dos projetos, o ator garante: “Também fiquei 60% mais bonito!” Edmilson é assim, faz piada de tudo. De fala rápida e sotaque carregado, ele começa a contar as diferenças entre o seu estado de origem, o Ceará, e a Califórnia (EUA), onde mora há 14 anos. “O principal é que, para o americano, tudo é verdade até que se prove o contrário. Já para o brasileiro, tudo é mentira até que se prove o contrário. Aí comecei a contar que meu pai jogava bola com o Pelé e eles diziam: ‘Oh my God!’”, lembra ele, aos risos, adiantando uma das anedotas que introduziu na peça ‘Made in Ceará’, que trará para uma temporada no Rio, em 2015.

O humor sempre esteve presente na vida de Edmilson. Mas não foi com o sonho de se tornar um astro de Hollywood que ele se mudou para a Califórnia. “Fui para lá para dar aula de taekwondo e treinar”, conta ele, que após encerrar sua vida como atleta, está se dedicando à carreira de ator. Aliás, o aprendizado como esportista foi o diferencial para dois de seus futuros trabalhos.

Em viagens para competições e olimpíadas, passou por 25 países. Toda a experiência de bordo serviu de base para o programa ‘Nazamérica’, que estreia até novembro no Canal Brasil. “Vou mostrar os Estados Unidos sob o meu olhar nordestino”, avisa ele, que, após os 15 episódios previstos, pretende fazer uma versão para a Europa e outra para a Ásia.

Depois de ‘Cine Holliúdy’, de Halder Gomes, ele firma outra parceria com o diretor — que, por coincidência, foi seu professor de taekwondo. “Ano que vem, vamos começar a gravar o ‘Chaulim do Sertão’. Vou fazer um padeiro apaixonado por artes marciais que começa uma jornada de treinamento. Vão me ver como atleta em cena”, vibra Edmilson.

E ele não para por aí. “Acabei de filmar ‘Loucas Para Casar’ (de Roberto Santucci) semana passada, junto a Ingrid Guimarães, Tatá Werneck e Marcio Garcia. Faço um gay coreógrafo de Copacabana”, adianta Edmilson sobre a comédia, prevista para estrear em dezembro.

Mas, além de atleta e ator, ele é multimídia. Por isso, não basta estar na televisão, no cinema e no teatro: tinha que se aventurar pela internet também. Até o fim do ano, estreia em uma websérie no site GShow, que, segundo ele, é diferente de tudo que já vimos. “É sobre o cearense mais inteligente do mundo. O homem é mais inteligente que o Google”, adianta ele, superempolgado. “Decidi fazer isso porque a internet hoje é um veículo muito forte. Já existe muita coisa sendo feita, mas esse é diferente. Não são esquetes e é um cara sozinho em cena. É original, macho”, garante.

CINE HOLLIÚDY - INDICAÇÕES

1. Melhor Longa-Metragem de Ficção
2. Melhor Longa-Metragem de Comédia
3. Melhor Direção — Halder Gomes
4. Melhor Ator — Edmilson Filho, como Francisgleydisson
5. Melhor Atriz Coadjuvante — Ana Marlene, como mãe de Waldisney
6. Melhor Figurino — Joanna Fontelles
7. Melhor Maquiagem — Cris Pires
8. Melhor Roteiro Original — Halder Gomes
9. Melhor Montagem Ficção — Helgi Thor
10. Melhor Som — Alfredo Guerra e Érico Paiva

Você pode gostar