Música brasileira pop e introvertida no Solar de Botafogo

Beatrice Mason lança ‘12 Seconds’ e regrava Vitor Ramil e Prefab Sprout

Por O Dia

Rio - Misterioso e isolado, o roqueiro britânico Paddy McAllon, da banda Prefab Sprout, quase não grava mais ou faz shows. Fã do grupo, a cantora carioca Beatrice Mason adoraria poder vê-lo no palco. Por enquanto, vai ser complicado — mas ela aproveita para homenageá-los regravando o sucesso ‘When Love Breaks Down’ em seu segundo álbum, ‘12 Seconds’. O disco ganha show de lançamento hoje no Solar de Botafogo.

Após ‘12 Seconds’%2C Beatrice quer regravar Nick DrakeDivulgação


“Era muito fã quando adolescente. Ouvi muito o disco ‘Steve McQueen’ (1985), cheguei a ficar em dúvida sobre qual música gravar”, relembra ela, que pôs um acento bossa nova na releitura.

Ao contrário do que fez no primeiro álbum, ‘Mosaico’ (2010), que tinha músicas de Edu Krieger, Délia Fischer, Pedro Luís e Rodrigo Maranhão, em ‘12 Seconds’ ela se aventura por um lado mais pop, com músicas em português, espanhol e inglês. ‘12 Segundos de Oscuridad’, de Jorge Drexler e Vitor Ramil, foi vertida por ela para o idioma britânico e virou a faixa-título.

“Eu também incluí uma letra minha no álbum, ‘Slow Mornings’ (parceria com Ana Clara Horta), mas ainda não tomei coragem de escrever em português. Tenho muitos rabiscos em casa”, diz Beatrice. Bem antes de optar pela música, ela trabalhou como advogada em Nova York. “Sempre cantei e resolvi correr atrás disso quando voltei ao Brasil.”

O próximo projeto de Beatrice será reler a obra de outro cantor bastante melancólico, o inglês Nick Drake (1948-1974). “Adoraria muito poder fazer um DVD ou CD. Fiz um show com a obra dele, com dois violões, e todo mundo adorou. É um cara que ninguém conhece no Brasil e o repertório é lindo. Mas vamos ver se consigo encarar os fãs do Nick, que são bem xiitas”, brinca.

Últimas de Diversão