Por karilayn.areias

Rio - Neste fim de semana, o Grupo Corpo encerra aqui no Rio, no Theatro Municipal, uma turnê relâmpago que começou em 7 de agosto, em Belo Horizonte. Como de costume (e para o deleite dos amantes da dança), o programa é duplo, combinando seu espetáculo mais recente com outro que, há tempos, está fora dos palcos. Nesta temporada, a produção principal é ‘Triz’, que estreou em agosto de 2013 e tem trilha assinada (pela segunda vez) por Lenine. Para acompanhar a montagem mais recente, este ano o grupo escolheu ‘Onqotô’, produção de 2005, com músicas de Caetano Veloso e José Miguel Wisnik, que desde 2006 não era apresentada nos palcos brasileiros. No ano passado, foi ‘Parabelo’, de 1997, que fez companhia a ‘Triz’.

Neste fim de semana Grupo Corpo se apresenta no Theatro MunicipalDivulgação

A coreografia de ambos espetáculos é assinada por Rodrigo Pederneiras. Em ‘Triz’, ele aborda a sensação de dúvida e limite. A inspiração veio de um episódio pessoal da vida do coreógrafo, que precisou ser submetido a cirurgias no ombro e nos joelhos, o que alterou a sua relação com a criação de movimentos. Como consequência, os 21 bailarinos que estão em cena participaram mais da concepção dos passos.

Já ‘Onqotô’, que ainda faz turnês internacionais, trata da discussão sobre a origem do universo. A coreografia apresenta movimentos verticais e horizontais, caos e ordenação. Destaque para a cenografia, com tiras de borracha presas em um espaço côncavo, que sugere um recorte do globo terrestre. Pode ser também um buraco negro ou o nada.

Serviço
Theatro Municipal. Praça Floriano s/nº, Cinelândia (2332-9005). Hoje e amanhã, às 20h. Dom, às 17h. De R$ 50 (galeria) a R$ 600 (frisas e camarotes).

Você pode gostar