Som e vozes do exílio ecoam após 43 anos em CD duplo de Gal e Gil

Álbum apresenta o inédito registro de show realizado em Londres, em 1971

Por O Dia

Rio - “O clima é de informalidade”, avisa Gilberto Gil no improvisado palco da universidade de Londres. A ausência de rigor, no entanto, jamais deve ser confundida com desleixo, como comprova a audição do CD duplo ‘Gilberto Gil & Gal Costa — Live in London’, nas lojas esta semana, em edição do selo carioca Discobertas.

Mesmo informais, Gal e Gil se afinam, em fina sintonia, no show feito em 26 de novembro de 1971 e ora perpetuado em CD, depois de 43 anos, por conta da recente descoberta da inédita gravação feita da mesa de som.

Item de colecionador, o álbum ao vivo apresenta o registro integral da apresentação que juntou Gil com Gal no Centro Estudantil da City University, na Inglaterra. Na época, Gil amargava com Caetano Veloso o exílio forçado pelos militares que comandavam o Brasil desde 1964. Gal, musa da contracultura e informal porta-voz dos exilados, tinha ido a Londres visitar os amigos.

Gal Costa e Gilberto Gil avalizam edição do CD que traz à tona a gravação ao vivo do show feito em universidade da Inglaterra%2C no exílio de GilAcervo GEGE

O disco duplo totaliza 18 músicas. As nove faixas do CD 1 são as mais valiosas por mostrarem os números feitos por Gal com o violão e os vocais de Gil. O CD 2 traz os nove números feitos por Gil com a banda formada pelo baterista Tutty Moreno, o baixista Bruce Henry e o percussionista Chiquinho Azevedo.

Por mais que as músicas de Gal já fossem recorrentes nos shows e discos da cantora, as versões têm temperos diferentes, como o contracanto de Gil ao fim de ‘Coração vagabundo’, o toque percussivo de seu violão em ‘Sai do sereno’ (tema de clima forrozeiro de Onildo Almeida) e o suingue de ‘Vapor barato’. À vontade, Gal brinca com a divisão de ‘Falsa baiana’, rumina os vocais de ‘Maria Bethânia’ e cai frenética no frevo em ‘Chuva, suor e cerveja’. A fricção das vozes agudas de Gal e Gil em ‘Acauã’ mostra que, no show, os cantores estavam livres, sem censura.

Últimas de Diversão