Por daniela.lima

Rio - Após reforma e retorno em 2011 o Cine Joia, em Copacabana, tem feito a alegria de cinéfilos com suas programações especiais, ciclos de cinema e debates. E as segundas-feiras, durante as quais a casa costumava ficar sempre fechada, também são especiais para a sala. Leituras de poesia, exibições de curtas e até debates sobre filosofia têm acontecido à noite por lá. E cineastas jovens têm alugado a sala para mostrar seus filmes. O jornalista e estudante de cinema Hugo Cals é um deles: lança nesta segunda o curta-metragem de terror 'A Casa', que trata de acontecimentos malignos envolvendo cinco jovens durante um fim de semana em Búzios. 

Hugo Cals junto com todo o elenco e a equipe do filme 'A Casa' Divulgação


Hugo usou seu próprio carro e a casa dos pais para a filmagem, e se inspirou bastante nas músicas da banda britânica Black Sabbath e em filmes como 'O Exorcista', de William Friedkin e 'A Morte do Demônio', de Sam Reimi. "É engraçado porque o próprio Black Sabbath se inspirou num filme de mesmo nome (no Brasil 'As Três Máscaras do Terror', de Mario Bava), e passou a fazer trilhas para filmes de terror que não existem", conta Hugo. Ao contrário do que costuma rolar em filmes do estilo, ele diz que não teve nenhum caso assustador acontecendo durante as filmagens. "No entanto, há cerca de duas semanas, o meu carro - que é o carro utilizado no filme - pegou fogo subitamente. Coincidência ou não, vai saber né?", brinca.

Coordenadora de projetos do Cine Joia, Monica Zennaro conta que segunda é o dia de alugar o cinema. "Temos o sarau de poesia, 'Poesia no Cinema É Joia', organizado por Cairo Trindade, Denise Trindade e Fernando Sá, em que eles chamam convidados. E o pessoal do Laboratório de Experimentações Filosóficas. Mas já abrimos para empresas que queriam usar o cinema, também. A ideia é abrir a sala para um público jovem e novo, é um foco nosso", conta. "Conseguimos fazer um preço legal para todos e a turma que gosta, apoia as iniciativas". 

Mariah Viamonte é Laura%2C no filmeDivulgação


Hugo é um deles. "Como cinéfilo comum, também acho ótimo. Dá oportunidade ao frequentador de cinema de assistir projeções alternativas ou que já saíram de cartaz. Recentemente, estive no Joia para assistir 'Scarface', meu filme preferido de todos os tempos, mas que nunca havia assistido em uma sala de cinema", afirma.

Você pode gostar