Autora faz passeio por um século de história da moda masculina

No livro, professora destaca o estilo de ícones de elegância, como David Bowie

Por O Dia

A capa do livro com imagem de David BowieDivulgação

Rio - Há quem considere moda um assunto de mulher. Engano: eles estão cada vez mais envolvidos com o assunto. “Os homens agora são tão vitais à indústria da moda quanto as mulheres: a proliferação de roupas de grife, perfumes, cosméticos, revistas e cobertura na mídia especializada coloca a moda masculina em evidência”, atesta Cally Blackman, professora de teoria e história da moda no Central Saint Martin’s College, em Londres, e autora do livro ‘100 Anos de Moda Masculina’ (Ed. Publifolha, 320 págs, R$ 59,90).

“De certa forma, isso tem crescido além da influência da comunidade gay, que sempre estabeleceu normas de consciência estética para roupas e estilo. A partir do momento em que a homossexualidade foi aceita pela sociedade, os homens passaram a ter prazer não só em consumir moda, mas também em exibir um visual altamente sofisticado.”

A publicação registra a diversidade do vestuário masculino desde o século passado, além de destacar o trabalho de nomes como Giorgio Armani, Jean Paul Gaultier e Calvin Klein, entre outros. “É uma obra, acima de tudo, sobre a elegância masculina”, decreta Cally. “Elegância é algo que pode ser aprendido, mas não é só sobre que roupas você usa, mas como você usa. Um bom exemplo de uma pessoa que aprendeu a ser elegante é o ex-jogador de futebol David Beckham, que tentou durante a carreira diversos recursos e tendências de cabelo e roupas até refinar seu estilo e ser reconhecido como um ícone”.

Mas, para a autora, quem fatura o posto de homem mais elegante de todos os tempos é um famoso dançarino norte-americano. “Fred Astaire para sempre será alguém difícil de superar. Ele não era especialmente bonito, mas sua esbelta figura de dançarino e pose de bailarino faziam com que se tornasse mais atraente que qualquer outra pessoa”, elogia ela.

‘100 Anos de Moda Masculina’ estampa na capa outro ícone, o cantor David Bowie, referência do mundo fashion até hoje. “O estilo roqueiro sempre vem e vai, mas estará presente em toda jaqueta de couro de motoqueiro e em cada par de jeans skinny nas ruas”, define Cally. No livro, também há uma foto de Santos Dumont, o brasileiro chamado de pai da aviação. “Mas a maior contribuição do Brasil é na moda praia, que tornou o país conhecido mundo afora e que faz parte de sua cultura e estilo de vida.”

Últimas de Diversão