Barbra Streisand reencontra amigos e seu passado no álbum ‘Partners’

Cantora bate recorde na parada dos EUA com CD no qual recorre à fórmula dos duetos

Por O Dia

Rio - Na década de 1990, o cantor norte-americano Frank Sinatra (1915 -1998) voltou às paradas com disco em que regravou seus sucessos com grandes nomes do universo pop. A fórmula foi tão bem-sucedida que, desde então, vem sendo seguida. Aos 72 anos, Barbra Streisand nada mais faz do que repetir a receita em ‘Partners’, disco recém-lançado no Brasil pela gravadora Sony Music. 

Barbra Streisand requenta seus maiores sucessos no disco de duetos ‘Partners’%2C no qual forja um encontro com Elvis Presley (1935 - 1977)Reprodução


A estratégia deu certo novamente. Tanto que ‘Partners’chegou ao topo da parada dos Estados Unidos, tornando Barbra o primeiro nome a alcançar tal proeza em seis décadas seguidas (ela iniciou sua carreira nos anos 1960).

Vendas à parte, o CD tem apelo para fãs da cantora. A voz já não é a mesma. Ainda assim, permanece afinada e com registro classudo. Para os fãs de Barbra, ‘Partners’ oferece a oportunidade de ouvir a artista requentando os hits de sua discografia ao lado de nomes como Lionel Richie (‘The way we were’), Babyface (um dos produtores do álbum e convidado de Barbra em ‘Evergreen’) e Stevie Wonder (‘People’, bela com a gaita e a voz de Wonder).

Projetos do gênero costumam forjar duetos virtuais com astros já mortos, graças aos recursos da tecnologia. No caso de ‘Partners’, o ‘ressuscitado’ da vez é o cantor norte-americano Elvis Presley (1935 - 1977), com quem Barbra canta a balada ‘Love me tender’. Verdade seja dita: o dueto resulta harmonioso.

Dentro dos 12 duetos do álbum, cabe ressaltar o de Barbra com o ‘crooner’ Michael Bublé em ‘I hat to be you’. A gravação começa como balada, mas cai no suingue das grandes orquestras.

Com o cantor e guitarrista John Mayer, Barbra recorda ‘Come rain or come shine’ com inspiração no encontro de Eric Clapton com o rei do blues B B King. Enfim, Barbra já cantou essas músicas com mais brilho. Mas ‘Partners’ tem lá seus encantos...

Últimas de Diversão