Por karilayn.areias
Publicado 24/10/2014 20:59 | Atualizado 24/10/2014 21:03


Rio - Renée, é você? Essa foi a pergunta que ecoou na cabeça dos milhares de fãs da atriz Renée Zellweger, depois que ela surgiu irreconhecível em uma premiação, na Califórnia,
no início da semana. Aos 45 anos, a atriz, que ficou famosa ao estrelar o filme ‘O Diário de Bridget Jones’, foi parar nos trending topics do Twitter e deixou até especialistas
da área de beleza boquiabertos com tamanha mudança.

Renée Zellweger apareceu quase que irreconhecívelReprodução Internet

“Eu tive que olhar mais de uma vez para reconhecê-la. A falta de bom senso gerou uma criatura que não se identifica em nada com a imagem que existia previamente”, analisa Joana
Novaes, psicanalista e coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza da PUC-Rio. “O desejo de melhorar cada vez mais está fazendo as pessoas virarem seres caricatos”, complementa
o psicanalista e colunista do DIA Fernando Scarpa.

Questionada por uma revista sobre as alterações em seu rosto, Renée declarou que o tempo a fez mudar. “Estou contente e satisfeita. As pessoas não sabem que sou quarentona.
Talvez eu esteja com um look diferente, mas quem não envelhece?”

Para o cirurgião plástico Noel Lima — membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da American Academy of Cosmetic Surgery —, casos como esses acontecem por conta dos
excessos. “São exageros que a cirurgia plástica pode proporcionar. Procedimentos cirúrgicos precisam ser feitos para reintegrar a pessoa ao meio, não desagregar”, diz o
profissional, que ainda faz um alerta. “As pessoas se informam pouco, querem fazer operações para qualquer coisa, detalhes mínimos. Chegam no consultório achando que somos
mágicos. Não é assim que funciona. A plástica ameniza os efeitos do tempo, mas é impossível estacioná-lo. Você conserta o rosto, mas as mãos e o pescoço denunciam a sua idade. E
isso é normal. É importante saber envelhecer e não perder a dignidade.”

A cirurgiã plástica Barbara Machado, chefe da equipe médica da Clínica Ivo Pitanguy, acredita que, no caso da atriz, há fortes indícios de que houve uma grande perda de peso,
seguida de uma lipoaspiração na face. “Ela emagreceu e passou por uma cirurgia de retirada de gordura da Bola de Bichat, que fica abaixo da região da maçã do rosto, além de ter
mexido no nariz e nas pálpebras. Isso deixou a face sem harmonia”, explica.

Defensora da naturalidade, a médica lembra que o visual adquirido pela atriz americana é o contrário da política defendida pelos cirurgiões. “Buscamos resultados bem próximos do
natural, algo que esteja dentro da realidade.” A dermatologista Paula Bellotti acrescenta: “Os procedimentos devem ser feitos, sem exageros, para melhorar a textura da pele,
minimizar rugas e linhas. O objetivo não é transformar ninguém em outro alguém. Quanto mais natural forem os procedimentos, melhores serão os resultados.”

Exageros à parte, Joana Novaes lembra que situações desse tipo são resultado da pressão da sociedade pela beleza eterna. “As pessoas associam feiura a uma questão moral e, com
isso, geram o constrangimento do outro. Além do mais, a sociedade incentiva esse comportamento patológico. Cria-se uma área de ilusão que faz o sujeito pensar que, fazendo todos
esses procedimentos, ele estará imune à dor. A boa notícia é que esse problema, chamado de transtorno dismórfico corporal, tem tratamento. Com terapia e antidepressivo é
possível reverter o quadro”.

DEZ DICAS DOS PROFISSIONAIS

1. Faça o exercício do espelho nosso de cada dia. Analise-se com atenção antes de concluir que você não gosta de algo.

2. Quando resolver fazer uma cirurgia, procure um médico que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

3. Tenha paciência e escute os conselhos do cirurgião.

4. Avalie com calma e pense se o que ele sugere é o que você quer.

5. Escolha uma data tranquila para realizar a operação. Fazer a cirurgia passando por vários problemas é péssimo, pois o emocional é muito importante. A mente rege o corpo.

6. Faça a cirurgia em um lugar digno, em um ambiente que tenha estrutura.

7. Tenha paciência com o pós-operatório.

8. Aprenda a ser feliz com você mesmo.

9. Saiba a hora certa de parar de fazer cirurgias. Esse é o segredo número um para envelhecer com dignidade.

10. Escute os conselhos dos bons amigos.

Você pode gostar