Por karilayn.areias

Rio - Você pode até chamar Mateus Solano para fazer uma selfie, mas fique certo de que as variações do registro fotográfico nem sequer passam pela cabeça do ator — como, por exemplo, a ‘belfie’ (autorretrato do bumbum). Amanhã, ele e Miguel Thiré estreiam o espetáculo ‘Selfie’, dirigido por Marcos Caruso, no Teatro Miguel Falabella, uma forma bem-humorada de fazer uma reflexão sobre o quão conectadas as pessoas estão.

Mateus Solano e Miguel Thiré em cenas do espetáculo ‘Selfie’%2C protagonizado por eles. A comédia fala sobre o excesso de exposição na internetDivulgação

“A gente precisa do meio-termo. Hoje, as pessoas têm uma relação esquizofrênica. Elas devem saber a hora de ligar e desligar”, avalia Mateus Solano. A peça conta a história de Claudio (Mateus Solano), um homem superconectado que armazena toda a sua vida em computadores, redes sociais e nuvens. E que, por um descuido, acaba perdendo todos seus arquivos.

Apaixonado por fotografia, Solano costuma guardar todos os seus registros, mas a famosa selfie ele só tem vontade de tirar em momentos muitos especiais, já que não é usuário assíduo das redes sociais. São pessoas de extrema confiança do ator que costumam administrar suas páginas na internet. “Gosto muito de fotos, mas tenho uma relação saudável com elas. Já fui de guardar muitas coisas, bilhetes de metrô. Mas gosto de ter as fotos para lembrar que já estive em determinado lugar. Só que não troco a experiência real por nada.”

Se para muitos artistas a selfie virou um tormento (já que fãs solicitam o registro a todo momento), para Mateus ela é um adianto. “Eu adoro. Eu mesmo falo: ‘Vem aqui, deixa que eu bato porque sou bom nisso.’ Aí eu sento o dedo, tiro logo umas dez fotos. Sou bom de enquadramento e ainda otimizo o tempo. Antes, tinha que ter uma terceira pessoa para tirar a foto e demorava bem mais”, diverte-se o ator.

Selfie, ok. Mas algo mais elaborado que isso, nem pensar. A ‘belfie’, que coincidentemente é feita durante a peça pelo ator Miguel Thiré, nunca foi feita por Mateus Solano. Ele sequer sabia da existência da palavra. “Esses dias que me falaram sobre isso, porque o Miguel tira uma foto do bumbum e me disseram que o nome era esse. Mas isso tudo é uma bobagem. Realmente, a ‘belfie’ não é uma coisa que povoa a minha mente. A gente vive num país que tem um culto à bunda, mas, como hoje em dia isso está uma loucura, fico tentando entender se as pessoas publicam tantas fotos por carência, poder, amor. Sei lá”, reflete.

O ator também comemora sua estreia ser na Zona Norte do Rio, que, na opinião dele, é carente de bons espetáculos. “Achei muito legal que os produtores tivessem essa iniciativa e a preocupação com as pessoas da Zona Norte, que são tão carentes de peças. Tomara que, assim, consigamos chamar atenção para essa questão.”

Solano também conta que não está certo no elenco de ‘Favela Chique’, de João Emanuel Carneiro. “Nunca me ligaram para falar sobre isso. Na TV, ainda não tenho nada confirmado”, garante.

Você pode gostar