Por daniela.lima

Rio - Para se fazer um baile, é preciso uma combinação: música e pessoas dançando. A ideia-chave do Festival Panorama deste ano segue a mesma linha. Com estreia amanhã, o espetáculo escolhido para abrir o evento mistura o texto de ‘Antígona’ ao ritmo vogue, prometendo um baile no palco do Theatro Municipal que nem o autor grego Sófocles nem Madonna — representante do gênero nos anos 80 — colocariam defeito. 

A 23º edição do evento estreia amanhã%2C no MunicipalDivulgação


“É um trabalho muito sofisticado com uma mistura muito maluca!”, anima-se a diretora-geral do festival, Nayse Lopez, sobre o espetáculo do coreógrafo norte-americano Trajal Harrell. Instigado pelo conceito da festa como ato político, a 23ª edição do Panorama encontrou no baile uma maneira de dar forma a sua ideia. “Dançar junto também é um ato político. Então, pegamos vários trabalhos que discutem isso e tentamos recuperar a ideia de baile, que foi se afastando da dança contemporânea”, explica Nayse.

A largada é amanhã, e tem festa para todos. Até o dia 16, nove companhias estrangeiras e oito brasileiras se apresentam da Zona Norte à Zona Sul, quase sempre de graça ou a preços populares, para ninguém ser barrado no baile.

THEATRO MUNICIPAL. Praça Floriano s/nº, Centro (2332-9191). Amanhã, às 20h. R$ 30 (galeria, plateia, balcão superior e nobre) e R$ 180 (frisas e camarotes). Duração: 135 min. Classificação: 16 anos. Confira a programação completa em www.panoramafestival.com.

Você pode gostar