Confinada em reality show, Tati Quebra-Barraco prepara seu novo CD

'Chefona do funk', cantora comemora nova fase da carreira comandando a versão brasileira de 'Lucky Ladies'

Por O Dia

Tati Quebra-Barraco comandará o reality show ‘Lucky Ladies’%2C que está sendo gravado numa cobertura na Avenida Atlântica%2C em CopacabanaDivulgação

Rio - Pre-pa-ra, que agora é hora do show da Tati Quebra-Barraco. Ela dá os retoques finais no novo CD, ‘Se Liberta’ — que vai marcar seu retorno após um intervalo de dois anos —, ao mesmo tempo que experimenta justamente o contrário da liberdade pregada no título do disco: o confinamento. A funkeira, famosa por fazer muita gente descer até o chão com os pancadões ‘Boladona’, ‘Sou Feia, Mas Tô Na Moda’ e ‘Dako é Bom’, é a grande estrela, uma espécie de chefona do funk, do mais novo reality da TV, a versão brasileira de ‘Lucky Ladies’.

Ao contrário de ‘A Fazenda’ e ‘Big Brother Brasil’, este não se trata de uma competição. Com estreia prevista para a metade do ano que vem no canal por assinatura Fox Life, a atração vai acompanhar a formação de uma banda de funkeiras, sob o comando de Tati Quebra-Barraco e um produtor musical.

“Estou amando essa nova oportunidade e muito agradecida pelo convite”, comemora ela, que deu um beijo no ombro da inicialmente sondada Valesca Popozuda e faturou a vaga (o canal não confirma, mas diz-se que Anitta também foi procurada).

Até o dia 16 de dezembro, Mulher Filé, MC Sabrina, MC Carol, Karol Ka e Mari Silvestre, chefiadas por Tati, ficam instaladas em uma luxuosa cobertura na Avenida Atlântica, com uma vista cinematográfica da Praia de Copacabana. Mas o confinamento não é tão rigoroso, e elas podem falar ao telefone, usar internet e sair para fazer shows em paralelo às gravações.

É nessas horas vagas que Tati finaliza ‘Se Liberta’. “Esse é o nome também da primeira música de trabalho. Podem esperar, esse disco será um novo recomeço”, promete. “Hoje, o funk está meio sem identidade. Quem sou eu para criticar, estou tentando também uma nova pegada, meu CD traz um mix de ritmos, e mudanças são sempre bem-vindas. Até porque não cheguei ontem.”

Dentro dessa mistura de estilos, tem espaço para participações dos pagodeiros Péricles e Hellen Caroline, além de seu antigo chapa Mr. Catra. “Somos amigos tipo irmãos. São anos de estrada e amizade. Já o amado Péricles foi paixão à primeira vista. Sempre fui megafã e tive o prazer de conhecê-lo e ver que era tudo aquilo que eu pensava”, elogia.

Mesmo depois de ficar poderosa ao emagrecer mais de 20 quilos (ela contabiliza que já passou por 26 cirurgias plásticas), a funkeira de 35 anos diz que continua cantando com orgulho ‘Sou Feia, Mas Tô Na Moda’. “Jamais mudaria o que me consagrou, pois, se cheguei até aqui, é porque tive uma história, um passado que faço questão de manter até o final. Sendo feia ou bonita, temos que ter talento. Não adianta ser bonita se não tem inteligência e talento”, ressalta.

E hoje em dia, o que te deixa boladona? “Desigualdade social e racial. Não tolero nenhum tipo de preconceito, seja de que forma for. Preconceito, tô fora!”, decreta.

Últimas de Diversão