Elenco de 'O Hobbit: A Batalha dos Cinco' se despede do último filme da saga

O diretor Peter Jackson diz que sentirá saudade de encontrar com os atores no set de filmagens

Por O Dia

Londres (Inglaterra) - Quando vi o resultado na tela, eu pensei: ‘Que bom seria viver nessa terra de elfos, anões e seres mágicos.’ Daí, parei e vi que eu vivi lá e que essa terra sempre vai estar no meu coração.” É com esse sentimento, comum a todos os fãs, que Ian McKellen se despede do seu personagem Gandalf e da saga ‘O Hobbit’, que estreia hoje seu capítulo final, que tem como subtítulo ‘A Batalha dos Cinco Exércitos’.

Bilbo (Martin Freeman)Divulgação

E filmar essa guerra foi mesmo uma luta para o diretor Peter Jackson, que passou nove meses na Nova Zelândia para rodar toda a saga escrita por J. R. R. Tolkien e dividi-la depois em três episódios. “Eu tinha pesadelos diários com a equipe de produção me perguntando o que fazer e eu sem saber o que dizer”, lembra-se Jackson. Hoje, as noites do diretor são tranquilas e seu sono, pesado. “Vou sentir saudades da alegria de encontrar com o elenco no set de filmagem, mas quero agora descansar, ir para a praia. A saga do Hobbit está terminada, não existem mais livros e o contrato com os representantes do Tolkien terminou”, sentencia.

Há 16 anos envolvido com o universo fantástico de Tolkien, Jackson contou a história de trás para frente. Começou com a trilogia de ‘O Senhor dos Anéis’ para retornar ao primeiro livro do escritor, em que a história tem início. E o segundo filme do Hobbit dá continuidade em seus primeiros minutos à última cena de ‘A Desolação de Smaug’, quando o dragão Smaug (Benedict Cumberbatch, que também faz a voz de Sauron) é libertado da montanha e ataca a cidade.

Thranduil%2C rei dos elfosDivulgação

Do ataque da fera, passando por sua derrota, às cenas finais, ‘A Batalha dos Cinco Exércitos’ segue num ritmo acelerado em seus 144 minutos. Eles narram as aventuras de Bilbo (Martin Freeman) pela Terra Média, ao lado do rei dos anões Thorin (Richard Armitage), e a ascensão do vilão Sauron e seu exército de Orcs. Para enfrentá-lo, elfos, anões e humanos se unem numa guerra repleta de efeitos especiais e muita tecnologia.

“Eu mal sei mandar um e-mail, mas tinha a necessidade de criar personagens e cenários para contar a história e entregava para a equipe de computação gráfica que fez coisas incríveis”, diz o diretor. Um dos destaques é o alce montado pelo rei dos elfos, Thranduil (Lee Pace). “Para mim, foi tudo muito simples. Eu entrava no estúdio, e me diziam para montar ali e interpretar. Quando vi o resultado na tela, achei incrível”, conta Pace, impressionado pelo universo de criaturas fantásticas criadas para o filme.

O humano Bard (Luke Evans)Divulgação

“Esse longa é um clássico, e espero que as pessoas ao terminar de assisti-lo tenham vontade de ver de uma vez só os seis filmes da série. A pior coisa para mim seria fazer um trabalho em que o espectador que paga para ver não goste do resultado. Isso seria um fracasso”, define o diretor já sonhando com os números da bilheteria.

Últimas de Diversão