Grupo Semente lança primeiro CD sem Teresa Cristina

Cantora faz apenas uma participação na regravação de 'Alô João'

Por O Dia

Rio - Teresa Cristina ainda está lá, mas desta vez apenas como cantora convidada. Teresa participa da regravação de ‘Alô João’, samba jocoso de Baden Powell (1937 - 2000) e Cyro Monteiro (1913 - 1973), gravado por Cyro nos anos 1960 e até então esquecido. ‘Alô João’ é uma das (boas) surpresas de ‘Grupo Semente’, o primeiro CD próprio do quinteto que anima as rodas de samba da Lapa, fazendo a cama e a cozinha para cantores como Teresa.

Grupo Semente canta com Diogo Nogueira no primeiro disco que assina sozinho%2C sem Teresa CristinaAlfredo Alves / Divulgação Biscoito Fino

Nas lojas a partir desta semana, em edição da gravadora Biscoito Fino, ‘Grupo Semente’ pode ser apresentado como o primeiro título da carreira ‘solo’ de Bernardo Dantas (violão), Bruno Barreto (voz e percussão), João Callado (cavaquinho), Mestre Trambique (voz e percussão) e Marcos Esguleba (voz e percussão). Afinal, até então o Semente somente tinha lançado CDs como acompanhante de Teresa Cristina.

Produzido por Eduardo Neves com o próprio Grupo Semente, o disco resulta azeitado, coeso. Seu bom acabamento instrumental não diluiu a espontaneidade esperada de um grupo habituado a tocar na noite. Ao contrário. A audição da gravação de sambas como ‘Mestre Marçal’, lançado em 1996 na voz de Wilson das Neves, deixa a impressão de que o disco ‘Grupo Semente’ foi gravado em roda de samba, com a descontração de um legítimo pagode.

A inusitada seleção do repertório contribui para o êxito do disco. O Grupo Semente acerta ao reavivar um samba como ‘Mulata beleza’ (Zé Roberto), lançado na voz de Denny de Lima em 1987, mas pouco gravado. Outro achado é ‘Tumba le lê’, samba gravado em 1956 pelo cantor paulistano Risadinha (1921 - 1976). Esse samba foi gravado pelo Semente com a adesão do cantor Pedro Miranda, que deixou o posto de vocalista do grupo em 2009, tendo sido substituído por Bruno Barreto.

Em contrapartida, a regravação do já batido ‘Disritmia’, feita com Diogo Nogueira, nada acrescenta ao samba de Martinho da Vila. No todo, o Semente dá saborosos frutos em seu disco próprio.