Após 30 anos junto do artista, grupo de Zeca Pagodinho estreia em carreira solo

Várias apresentações foram canceladas depois que Zeca passou por cirurgia

Por O Dia

Rio - Depois de mais de três décadas tocando ao lado de Zeca Pagodinho, a banda Muleke se viu em uma situação inédita e complicada. “Neste fim de ano, ele está impossibilitado de fazer shows, por causa da cirurgia”, lamenta Paulão 7 Cordas, maestro da trupe, sobre a operação de hérnia de disco pela qual Zeca passou em outubro. “Tivemos que cancelar várias apresentações, incluindo uma no Réveillon em Salvador.”

Com a agenda interrompida pela primeira vez desde que começou a trabalhar com Zeca, a big band sai em carreira solo e começa nesta quarta-feira uma roda de samba no Clube Santa Luzia (Avenida Almirante Silvio de Noronha 300, Centro), a partir das 19h. “Vamos sempre receber convidados, como Xande de Pilares e Reinaldo, que vêm na estreia. A ideia é seguir verão adentro com o projeto. O Dudu Nobre já confirmou participação na próxima”, anuncia Paulão. “O repertório vai mesclar músicas que tocamos com o Zeca com outras dos convidados.”

Formação atual da Banda MulekeGuto Costa

Na verdade, esta não foi a primeira vez em que pensaram em fazer um show só deles, mas nunca dava tempo de conciliar com a agenda intensa do patrão. Ficava sempre para depois, mas agora eles resolveram pegar firme nesse período de verão, até o Carnaval. “Gravar um CD também está nos planos”, entusiasma-se Paulão.

Para a empreitada, é bom correr, porque Zeca Pagodinho já tem data para voltar aos palcos: 31 de janeiro. “Será um show em São Paulo, até lá ele já vai estar recuperado”, torce o maestro. “E, em seguida, vamos começar as gravações de um novo disco dele, só com músicas inéditas e gravado em estúdio.”

Ainda assim, Paulão 7 Cordas conta que, uma vez começada, a carreira solo da Muleke não vai mais parar: “A tendência dele agora será não fazer mais tantos shows. Já fez muitos na vida, tem muito tempo de carreira, é natural. Ele diz que precisa de mais tempo livre para gastar o que ele ganha, e que não quer morrer de tanto trabalhar. Vamos seguir nosso caminho, independentemente de estar tocando com ele.”

A banda Muleke acompanha Zeca Pagodinho desde o início da carreiraDivulgação

Claro que Zeca será um dos convidados da Muleke em uma próxima edição no Santa Luzia. “Sendo o convidado da noite ou não, em breve ele vai aparecer. Só não vai agora na estreia por causa da saúde. Ele está com limitações na locomoção e lá tem escada. Mas já está fazendo fisioterapia e logo vai sentar lá e tomar uma geladinha”, torce Paulão.

Zeca Pagodinho está mesmo dando a maior força, curtiu a ideia dessa roda de samba e mandou sua equipe divulgar na internet. “O Paulão, além de diretor musical, é meu amigo de juventude. Tem muito samba para cantar e muita história para contar. Toda sorte a eles”, deseja Zeca.

Com tantos anos de amizade, Paulão conhece bem o velho companheiro. “Ah, com certeza”, atesta o violonista. “Quando estamos na estrada, depois dos shows a banda sempre vai para o quarto dele para ficar conversando. Ele gosta disso. Não é um artista que tenha manias nem superstições. No máximo, dá uma rezadinha antes de entrar no palco. É muito bem-humorado. Até quando está rabugento, continua um cara espirituoso, fala coisas engraçadas, tem alegria de viver.”


Últimas de Diversão