Filme ‘Louco Amor’ fala de violência contra mulheres

Longa deixa de ser sobre a lei Maria da Penha e fala de dor e superação

Por O Dia

Rio - Estava tudo certo para o filme inspirado na história de Maria da Penha ser rodado. Até que os produtores perceberam que o tema violência doméstica englobava muito mais do que o drama vivido pela biofarmacêutica, que ganhou uma lei em seu nome, e mudaram o rumo da prosa. O nome do longa mudou, o roteiro ganhou mais força e as cenas foram construídas a partir de diferentes relatos de vítimas de agressão, mesmo depois de Maria da Penha ter negociado seus direitos de imagem.

Naura Schneider e Domingos Montagner se abraçam após forte cena de agressão no filme ‘Louco Amor’%2C com previsão de estreia neste anoDivulgação

Com previsão de estreia para este ano, ‘Louco Amor’, de Marcos Schechtman, discute o assunto com o intuito de alertar as mulheres a fazerem a denúncia. Naura Schneider e Domingos Montagner protagonizam o casal Graça e Raul, que tem a vida arruinada após o marido começar a agredir a mulher. “Inicialmente, o filme seria sobre a Maria da Penha. Mas vimos que existiam outras histórias que iriam abranger mais o tema. A ideia é fazer um filme sobre a violência doméstica como um todo”, explica Naura, que também produz o longa.

“Se fizéssemos sobre a história da Maria da Penha, não daria para contar tantas outras coisas que achamos interessantes. Fizemos muita pesquisa e vimos que 95% das mulheres que denunciam os maridos sofrem agressões físicas, apanham diariamente. A Maria da Penha não tinha esse histórico (em 1983, seu marido, o professor colombiano Marco Antonio Heredia Viveros, tentou matá-la duas vezes. Por conta das agressões sofridas, ela ficou paraplégica). Colocando mais casos, as pessoas se sentiriam mais próximas”, salienta a atriz.

O desespero de viver sob ameaças e imposições do marido transformam a vida da personagem Graça em num verdadeiro inferno. O sentimento vai minando, as duas filhas do casal saem prejudicadas e o fim é uma tragédia anunciada. “Eles se casaram apaixonados. Mas, com o tempo, Raul começa a dar sinais de violência”, define Naura. É aí que Domingos Montagner entra em cena na pele de Raul, com cara de mau e sangue nos olhos para bater na mulher.

“Um certo dia, Graça recebe um prêmio e ele fica possesso de ciúmes quando ela é cumprimentada pelo ex. Ele quer uma mulher submissa e ela não é. Até que ele dá cinco tiros nela e depois tenta se matar”, adianta a atriz.

Elenco do filme ‘Louco Amor’%2C que tem Domingos Montagner%2C Naura Schneider e Suzana Faini%2C mostra entrosamento durante as filmagensDivulgação

As cenas de agressão foram feitas com muito cuidado. Entretanto, chocaram a atriz Suzana Faini, que vive Dona Marli, mãe de Graça, nas telonas. “Foi tudo feito com muita técnica, como se fizessem uma coreografia. Porque tudo tem que funcionar direito, senão, pode machucar alguém. Quando vi, jurava que eles tinham se batido mesmo. Porque ele dá uma cabeçada. Mas era tudo encenação”, esclarece Suzana. A veterana atriz ainda ressalta o apoio que as vítimas devem ter da família.

“Essa mãe que faço no cinema apoiou a filha. Na vida real, muitas não apoiam porque são machistas. Acham que os homens que estão certos e que as mulheres têm de obedecer aos maridos. Aí, essas vítimas se escondem por vergonha e medo”, acrescenta.

Com o aumento das denúncias desde a criação da Lei Maria da Penha, muitas mulheres ganharam vida nova. Naura comemora o fato de algumas conseguirem dar a volta por cima, mas alega que tantas outras não recebem o apoio do Estado após o registro na delegacia.

“A ideia do filme é fazer com que as pessoas denunciem. Se deixarem a agressão acontecer, pode acabar em tragédia, acabar com uma família. É preciso ter coragem para sair dessa relação. Hoje, as denúncias aumentaram, mas nem sempre o Estado está preparado para amparar essas vítimas. É preciso um olhar mais atento para essas mulheres”, alerta Naura.

Últimas de Diversão