Por daniela.lima

Rio - Após dirigir filmes como ‘Babel’ e ‘Biutiful’, o cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu não poupou ousadia em ‘Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)’. Seu último longa é não só uma crítica aos bastidores do próprio show business, mas a toda uma sociedade carente de aplausos. 

Rigan Thomson (Michael Keaton) e Mike Shiner (Edward Norton) em cena do longa-metragem ‘Birdman’Divulgação


Como atrair atenção da mídia? Ser trending topic nas mídias sociais? No roteiro de Iñárritu, Riggan Thomson (Michael Keaton, impecável) é o protagonista dessa busca em um meio onde a vaidade acaba minando o potencial artístico de cada um.

O status de celebridade de Thomson foi conquistado na pele do super-herói Birdman, nos anos 80. Ao se recusar a participar do quarto filme do personagem, o ator acaba caindo no ostracismo. Décadas depois, a tentativa de resgatar a atenção dos holofotes o insere em um universo onde fantasia e realidade se confundem a todo o momento.

O plano é dirigir e estrelar uma adaptação de um texto famoso para a Broadway. Uma série de tramas paralelas envolvendo a equipe da peça reforça os questionamentos levantados pelo diretor. Mike Shiner (Edward Norton) é um ator arrogante, e está sempre representando esse papel dentro e fora do palco. Lesley (Naomi Watts) também pertence ao elenco, e só se importa em “ter chegado à Broadway”. Mascarados pela busca do ‘reconhecimento artístico’, todos são guiados por um egocentrismo cego. A única que faz um contraponto é a filha e assistente de Thomson (Emma Stone), uma ex-drogada que teve o carinho do pai substituído por presentes ao longo da vida. São dela as falas mais coerentes e sinceras.

Com uma bateria presente ao longo do filme, ‘Birdman’ insere o som na narrativa, que ganha tons surreais a cada vez que a música do instrumento aparece em cena. Esse universo semirreal vai ganhando cores através dos conflitos internos do protagonista. Assim como para Thomson, aos poucos fica difícil para o público distinguir o que é real e o que é fantasia dentro da trama. 

Não é por menos que essa comédia dramática conquistou o Globo de Ouro de Melhor Roteiro e Melhor ator (Michael Keaton), além de nove indicações ao Oscar. ‘Birdman’ está muito mais para um artista genial do que para uma celebridade-relâmpago.

Você pode gostar