Mauro Ferreira: Álbum 'Rio', de Joyce, chega ao Brasil

Edição nacional de ‘Rio’ está prevista para chegar ao mercado este mês, a tempo de celebrar os 450 anos da cidade

Por O Dia

Rio - Joyce Moreno fez sua primeira música na adolescência, após ter aprendido a tocar violão, aos 14 anos. Declaração de amor ao Rio de Janeiro, cidade natal da artista, ‘Rio meu’ flagra Joyce sem a inspiração que iria lhe garantir lugar de honra na música brasileira a partir dos anos 1970. Mas a música cabe muito bem no repertório de ‘Rio de Janeiro’, CD de voz e violão gravado por Joyce em 2011 para o mercado japonês. Um dos melhores discos da cantora, ‘Rio’ — como o CD foi creditado na borda da capa da edição europeia de 2012 — ganha enfim edição brasileira. A edição nacional de ‘Rio’ está prevista para chegar ao mercado este mês, a tempo de celebrar os 450 anos da cidade.

Joyce Moreno canta alegrias e tristezas da cidade em ‘Rio de Janeiro’%2C belo CD que sai este mês no BrasilDivulgação / Leo Aversa

De fato, trata-se de bonita homenagem ao Rio. De modo geral, o repertório exalta as belezas de uma cidade que insiste em continuar maravilhosa, apesar da violência e dos tempos nublados (‘Rio cheio de tristeza quando o sol não vem’, diz verso da citada ‘Rio meu’). Mas Joyce não foge à luta dos que clamam por uma cidade menos partida e também dá voz (cada vez melhor) aos que vivem nos barracos da cidade, cenário dos versos criados por Sergio Natureza para ‘Vela no breu’, parceria do poeta com Paulinho da Viola, de 1976.

Entre a marcha carnavalesca ‘Cidade maravilhosa’ (André Filho, 1934) e a leve ‘Valsa de uma cidade’ (Antonio Maria e Ismael Neto, 1954), introduzida por vocais que evocam o estilo do grupo Os Cariocas, Joyce regrava músicas de seu repertório autoral que se afinam com o tom e o conceito do disco. É o caso de ‘Tardes cariocas’ (1983), tema de clima bossa-novista e do perspicaz verso ‘O janeiro do Rio é sempre no verão’.

Criada em Copacabana, Joyce celebra o bairro natal com joia tirada do baú, ‘Manhã no Posto 6’ (Armando Cavalcanti), samba que ganhou a voz de Wilson Simonal (1938—2000) nos anos 1960. Embora nem todas as músicas falem de Rio, Joyce Moreno — carioca da gema — põe seu Rio nelas todas.

Últimas de Diversão