Luis Pimentel: O Rio de A-Z (verbetes afetivos)

AAí, mermão! — Pode ser uma gíria, uma força de expressão, um cacoete, uma preguiça tipicamente carioca de completar a frase

Por O Dia

Luis Pimentel%3A O Rio de A-Z (verbetes afetivos)Divulgação

Rio - AAí, mermão! — Pode ser uma gíria, uma força de expressão, um cacoete, uma preguiça tipicamente carioca de completar a frase (na verdade, isto quer dizer “É isso aí, meu irmão!”, algo que nem o “Ó paí, ó!” dos baianos). Já ouvi com duas entonações e sentidos totalmente diferentes: “Aí, mermão, relaxa!”, de alguém me oferecendo ajuda; e “Aí, mermão, perdeu!”, de alguém me anunciando um assalto.

Angu do Gomes — Foi uma das mais belas tradições românticas e gastronômicas do Rio de Janeiro, nos anos 1970/80. Desembarcar ou embarcar na Praça XV, depois ou antes de uma travessia de barcas, e se deliciar com aquele maravilhoso angu em prato de ágata, generoso nos pedacinhos de rabada e no molho carregado, é flagrante que a memória do bom carioca ou morador do Rio não dispensa.

Alto da Boa Vista — Pode­se subir pela Zona Norte (Tijuca, Usina) e descer pela Zona Sul (Estrada das Canoas, Estrada da Gávea, São Conrado) ou vice­versa. É um passeio inesquecível, pois o Alto imbica e se esparrama lá no topo do Maciço da Tijuca — que divide a cidade em zonas Norte, Sul, Oeste e Centro — e oferece belezas como o Parque Nacional da Tijuca, a Vista Chinesa e a Gávea Pequena.

Arcos da Lapa — Muita água já passou por cima dos Arcos da Lapa. E por baixo também. Quem visita o lindo monumento que atravessa em direção ao Largo da Carioca ou se esparrama na subida para Santa Teresa, nem sempre se dá conta de com que objetivo ele nasceu. Veio ao mundo como o Aqueduto do Carioca e a construção teve início no ano de 1723, com a intenção de captar água do Alto de Santa Tereza, passando pelo caminho de Alexandrino até a atual região dos Arcos, onde havia um chafariz, no qual a água era recolhida por escravos para a casa de seus senhores. Serviram ao Rio e aos cariocas por muitos anos, transportando generosamente em seus imensos braços de concreto o líquido que matou a sede de muita gente. E que hoje traz tanta preocupação.

Aterro do Flamengo — Em termos de área verde em plena cidade, há quem garanta que está entre as maiores do mundo. Com certeza, é uma das mais belas. O Aterro do Flamengo (oficialmente Parque Brigadeiro Eduardo Gomes) é uma área exuberante de mais de um milhão de metros quadrados, projetada pelo paisagista Burle Marx (1909­1994), se espalhando generosamente na beira da praia, entre o Aeroporto Santos Dumont e a Enseada de Botafogo. Passear durante o dia pelo Aterro, de braços dados com a Praia do Flamengo ou a Enseada de Botafogo, é um dos programas cariocas mais saudáveis e gostosos. Mas quando a iluminação diminui, cuidado; por ali, também, à noite todos os gatos são patos.

Últimas de Diversão