Nem o carisma dos protagonistas salva o musical 'Annie'

Nascida como espetáculo da Broadway e transformada em filme, a história segue nas telas suas origens como musical, porém resultado é constrangedor. Cotação: * Razoável

Por daniela.lima

Rio - Uma órfã, uma megera e um empresário ambicioso e individualista. Esse é o trio que sustenta a história de ‘Annie’, filme produzido por Will Smith e Jay-Z, sobre uma garotinha de mesmo nome.

Jamie Foxx e Quvenzhané Wallis têm ótima atuação em história fracaDivulgação


Nascida como espetáculo da Broadway e transformada em filme por duas outras vezes, a história segue nas telas suas origens como musical. Só que o resultado é constrangedor — literalmente desafina. Nem o carisma e ótima interpretação da dupla Quvenzhané Wallis e Jamie Foxx salva essa empreitada.

Nas primeiras cenas, somos apresentados a Annie (Wallis): uma menina de 10 anos, que mora com outras órfãs na casa da Senhora Hannigan (Cameron Diaz). Mantidas lá pelo dinheiro pago pelo estado para a ‘mãe provisória’, as crianças são maltratadas a todo instante.

Um dia, por acaso, Annie é salva de um atropelamento pelo bilionário Will Stacks (Foxx). Ele, que está concorrendo ao cargo de prefeito de Nova York, logo percebe que pode tirar proveito do ocorrido para alavancar sua campanha e convida Annie para passar um tempo em sua casa.

Previsível até para as crianças mais ingênuas, o roteiro não cativa. Cameron não convence em seu papel, e tudo segue meio insosso ao longo de todo o desenrolar do filme.

Últimas de Diversão