Por daniela.lima

Rio - A segunda edição do Cine Daros vai mostrar os cinco filmes que mais se destacaram entre o público e a crítica em 2014. A mostra promovida pela Casa Daros, em Botafogo, vai de 25 de fevereiro a 1º de março, sempre às 19h30, com entrada gratuita e sessões realizadas ao ar livre, no pátio interno da instituição. 

Público assiste a filme no pátio da Casa Daros na edição de 2014 Divulgação


“Nesta edição, procuramos filmes que foram destaques na programação do último ano, especialmente em festivais. Temos ainda uma pré-estreia e uma exibição em primeira mão, anterior a pré-estreia oficial, de dois filmes brasileiros”, conta Dominik Casanova, diretor-geral da Casa Daros.

As duas pré-estreias da mostra são o documentário ‘Campo de Jogo’, do cineasta carioca Eryk Rocha, que abrirá o evento no dia 25 e acompanha um campeonato anual de futebol de várzea disputado por 14 times de favelas da Zona Norte do Rio de Janeiro, e ‘Casa Grande’ (dia 28), primeiro longa de ficção dirigido pelo também carioca Felipe Barbosa, que conta a história de Jean, um adolescente rico que luta para escapar da superproteção dos pais, secretamente falidos.

Os outros três filmes da programação já estrearam no circuito comercial no ano passado. São eles: o americano ‘Nebraska’ (dia 26), de Alexander Payne (‘Sideways — Entre umas e Outras’), a comédia sueca ‘Nós Somos As Melhores!’ (dia 27), dirigida por Lukas Modysson, e ‘Grande Hotel Budapeste’ (dia 1º de março), de Wes Anderson, indicado ao Oscar 2015 para melhor filme, roteiro, fotografia e direção.

Dominik Casanova diz que o Cine Daros no pátio marca o início da nova temporada das sessões no auditório — no próximo dia 8 de março — e a procura de um jeito diferente para assistir a um filme.

“Ao ar livre, num ambiente menos introspectivo que o das salas, torna-se uma experiência coletiva e gregária. Claro que queremos que muita gente assista à nossa seleção, mas estamos muito mais preocupados com a qualidade dessa experiência”, frisa o diretor -geral.

NOVIDADES NO AUDITÓRIO

Dominik ressalta ainda que a programação de filmes no auditório, sempre aos domingos às 16h, também com entrada gratuita, vai manter a mesma qualidade das sessões ao ar livre, com mostras regulares de um ou até dois meses.

“Em março, um ciclo reúne filmes e diretores influenciados pela Nouvelle Vague francesa, além de alguns títulos do período”, adianta.

Segundo Dominik Casanova, outra novidade é uma mostra de filmes, programada para o primeiro semestre, que acontecerá paralelamente à exposição ‘Made in Brasil’, que inaugura em 20 de março.

Você pode gostar