Exposição traz obras feitas fora de suportes tradicionais

Mostra é composta por trabalhos de brasileiros e estrangeiros

Por O Dia

Rio - O Museu de Arte Moderna (MAM) apresenta, a partir do próximo sábado e até o dia 3 de maio, a exposição ‘Ações, Estratégias e Situações nas Coleções do MAM’, formada por 40 obras pertencentes às coleções da instituição e com curadoria de Marta Mestre. A mostra é composta por trabalhos realizados fora dos suportes tradicionais de arte, de 16 artistas, entre eles os brasileiros Artur Barrio, Marcia X, Marcius Galan, Cildo Meireles e Lygia Clark.

A obra ‘4 Dias%2C 4 Noites — Livro 2’ é um dos destaques da mostraDivulgação

“O nosso objetivo é mostrar o comprometimento do MAM Rio com propostas experimentais, algo que já ocorre há mais de 40 anos”, afirma a curadora, Marta Mestre.

Segundo ela, a mostra tem foco na produção de artistas que reinterpretaram o lugar da obra — a sua presença artística —, no qual o objeto cede a sua relevância à linguagem ou à experiência. “A exposição dirige-se a essas problemáticas sem querer usar o termo ‘conceitual’ nos trabalhos aqui reunidos, mas agrupando diversos materiais que questionam algumas noções que costumam ser aceitas e são tradicionais do campo da arte.”

Além das obras criadas por brasileiros, fazem parte da mostra trabalhos de artistas alemães, americanos e de um taiwanês.

“No recorte dessa mostra, foram privilegiadas as ações, estratégias e situações utilizadas na elaboração das obras, o que reuniu dois tipos de objetos que ainda vêm sendo estudados e tratados de forma separada: obras de arte e documentos”, diz a curadora. “As fronteiras entre os dois se tensionam nos materiais presentes nesta exposição: poema impresso, livro, fotografia, fotocópia, cartaz, documentação, contrato, proposição e maquete”, enumera a curadora.

Entre as obras mais expressivas que serão apresentadas na mostra do MAM, há trabalhos como ‘4 dias 4 noites — Livro 2’, de Artur Barrio, concebido entre 1970 e 1978, feito em nanquim e fita adesiva sobre caderno, e ‘Diálogo de Mãos’, de Lygia Clark, feito em 1966 a partir de elásticos, entre outros.

Últimas de Diversão