Um novo perfume para a banda Cheiro de Amor

Sucessora de Alinne Rosa à frente do grupo de axé, a cantora Vina Calmon comemora a estreia no Carnaval de Salvador

Por O Dia

Rio - Ela é uma foliona nata, mas nunca pulou o Carnaval carioca. E, pasmem, apesar de ser pernambucana, também não conhece o Carnaval do Recife. “Mas sei que são grandes Carnavais, embora para mim o de Salvador seja o melhor do Brasil”, defende Vina Calmon.

Aos 27 anos, a nova cantora da tradicional banda de axé Cheiro de Amor — que acaba de lançar seu mais novo DVD, ‘Nas Águas’, registro de show no Dique do Tororó, em Salvador — se confirmou como uma das grandes estrelas dos festejos de Momo este ano, quando experimentou pela primeira vez a emoção de comandar um show na capital baiana em cima de um trio elétrico. “O coração estava realmente a mil. Me cuidei espiritualmente, sempre rezando e agradecendo a Deus, e fisicamente, não só do corpitcho, mas também da voz”, entusiasma-se Vina, que perdeu seis quilos especialmente para a empreitada.

Vina Calmon perdeu seis quilos para o CarnavalDivulgação

Ela é a quarta cantora à frente do Cheiro desde a sua formação, em 1985. Para assumir a vaga deixada por Alinne Rosa (que saiu para seguir carreira solo), Vina teve que se desligar de sua banda, a pouco conhecida Axerife. “Eu e a Alinne nunca fomos amigas, mas nos conhecemos e nos respeitamos bastante. As comparações vêm mesmo, os fãs dela vão defendê-la com unhas e dentes, a situação é inevitável, faz parte, mas não me incomodo. Existem pessoas que vibram e torcem por mim, mas há também quem torça contra. Espero com o tempo ir cativando o público, é um processo que vai ser construido, está muito cedo ainda.”

Vina integrou o Axerife por quatro anos e a saída foi alvo de uma longa (e, diz-se, tensa) negociação entre os empresários de ambas as partes, visto que ela ainda tinha contrato com a sua agora ex-banda. “Em um primeiro momento, eles ficaram chateados, claro, não queriam que eu saísse, mas não ficaram com raiva”, garante ela.

No novo DVD ‘Nas Águas’, Vina interpreta antigas canções do Cheiro e novas apostas para o verão, como ‘Swing de Mainha’, ‘Jasmim’ e ‘Oyá’. Mas, afinal, como é isso? Existe uma fórmula para emplacar no verão da Bahia e, consequentemente, virar febre nacional?

“É interessante isso, porque a gente na verdade nunca sabe. Essa ansiedade faz parte. Estamos a todo momento nos perguntando: será que estão gostando? Como estão indo as músicas novas? Existem também outros artistas com músicas que prometem, a Bahia é um celeiro disso. Todo ano saem canções ótimas, a gente tem essas três que prometem para 2015”, torce.

Últimas de Diversão