Por roberta.campos

Rio - Pouco antes do fim da manhã do último dia 7 de janeiro, os irmãos franco-argelinos Saïd e Chérif Kouachi invadiram o número 10 da Rua Nicollas-Apert, em Paris, sede do jornal satírico ‘Charlie Hebdo’ — conhecido pela abordagem ácida na crítica às religiões em geral, e ao Islamismo em particular.

Armados com fuzis russos Kalashnikov, os terroristas, ligados a um braço iemenita da organização terrorista Al-Qaeda, assassinaram 12 pessoas — entre elas, oito cartunistas da equipe editorial. Naquele dia, além dos assassinatos em si que chocaram o mundo, a ação dos dois criminosos também provocou o aquecimento de um debate bem conhecido: qual seria o limite do humor — ou se ele deveria, de fato, ter algum limite? Até onde vai o limite da liberdade de expressão?

Para tratar dessas questões, e também para repudiar o ato cometido contra os artistas franceses, um grupo de 24 chargistas e desenhistas se reuniu para produzir as obras que compõem a exposição ‘Traço Livre — dos Limites do Humor à Liberdade de Expressão’, em cartaz na Galeria Scenarium. 

Obra de Hippertt retrata a ameaça que o terror representa ao humorDivulgação

“O atentado na França teve grande repercussão em todo o mundo, o que gerou um impacto profundo entre a classe dos humoristas gráficos brasileiros, que mantém relações com a redação do ‘Charlie’ desde os tempos do ‘Pasquim’. Muitos artistas brasileiros foram influenciados pelo humor cáustico e o traço anárquico de artistas como Georges Wolinski — assassinado nesse atentado —, Jean-Marc Reiser e Siné Mensuel”, avalia Ricky Goodwin, que, em parceria com Ana Pinta, é responsável pela curadoria da exposição.

A mostra é formada por desenhos em papel, pintura em tela, xilogravura, além de uma obra tridimensional. A exposição conta com grandes nomes das artes gráficas do país, como Jaguar, Aroeira e Hippert, diretor de arte do DIA, além de Ziraldo, Claudius, Nani, Rubem Grillo, Paulo e Chico Caruso. “As obras representam a documentação de uma volta por cima, de uma recusa à intimidação”, finaliza Goodwin.


SERVIÇO:

Galeria Scenarium - Rua do Lavradio 13, Lapa, - Tel.: 2252-9138

Você pode gostar