O bom e velho Campari está de cara nova

Criada em 1860 na Itália, bebida cai no gosto de mixologistas e vira ingrediente de modernos drinques pela cidade

Por O Dia

O Martinez do Paris Bar é servido em taça especialDivulgação

Rio - O Campari não é mais aquele, quem diria. De bebida meio esquecida, apreciada apenas pelos mais velhos, o bitter — criado em 1860 anos pelo italiano Gaspare Campari — voltou a ser um ingrediente muito utilizado, e surge repaginado, em drinques modernos nos cardápios de casas de diferentes perfis na cidade.

Parte dessa boa fama da bebida deve-se à popularização do Negroni, coquetel clássico que combina Campari, gim, vermute e uma rodela de laranja, e é um dos campeões de fotos no Instagram.

Com o balcão comandado por Alex Mesquita, um dos mais renomados mixologistas da cidade, o Paris Bar tem em seu cardápio não só o Negroni (R$ 28), feito com gim Tanqueray Ten, Antica Formula e Campari, mas também o Martinez (R$ 33), com Campari, gim Bombay, licor Luxardo, bitter Gary Regan e Carpano Italiano.

Na Casa Momus, o ingrediente aparece no Momus (R$ 20), que leva absinto, Campari, vinho branco e suco de cranberry, e no Sbagliato (R$ 24), que é feito com Campari, prosecco e Martini rosso.

No Usina 47, que tem carta de drinques assinada pelos mixologistas Alex Miranda e Lelo Forti, as sugestões são o Vapor (R$ 28), que leva Gin Tanqueray, chá de hibisco, Campari, xarope de açúcar, xarope de gengibre e suco de limão siciliano, e o Negroni (R$ 16), preparado com gim Beefeater, vermute rosso, Campari e laranja.

O Meza Bar, famoso pelos drinques, sugere o Jesus on the Beach (R$ 23), feito com vodca Ciroc Peach, Chambord, Campari, suco de laranja e Guaraná Jesus.

O peruano Tupac tem o coquetel que leva o nome da casa, preparado com pisco, Campari, vermute rosso, xarope de pimenta e gengibre (R$ 27,50).

Já no Bar do Momo, tradicional boteco da Tijuca, o Campari vem na sua forma mais tradicional: servido com água tônica, laranja e gelo (R$ 13).

BAR DO MOMO. Rua General Espírito Santo Cardoso 50, loja A, Tijuca (2570-9389). De seg a sex, das 14h às 23h. Sáb, das 11h às 22h. Dom e fer, das 9h às 16h. Cc.: Nenhum. CASA MOMUS. Rua do Lavradio 11, Lapa (3852-8250). Seg, das 11h30 às 17h. Ter e qua, das 11h30 à meia-noite. De qui a sáb, das 11h30 às 2h. Cc.: Todos. MEZA BAR. Rua Capitão Salomão 69, Humaitá (3239-1951). De dom a qui, das 18h à 1h. Sex e sáb, das 18h às 3h. Cc: Todos. PARIS BAR. Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa. Praia do Flamengo 340, Flamengo (2551-1278). De ter a sex, de meio-dia às 15h e de 19h ao último cliente. Sáb, das 19h ao último cliente. Dom, de meio-dia ao último cliente. Cc.: Todos. TUPAC. Rua Aníbal de Mendonça 132, Ipanema (3592-4941). De seg a qui, de meio-dia às 16h e das 19h à meia-noite. Sex, de meio-dia às 16h e das 19h à 1h. Sáb, das 13h à 1h. Dom e fer, da meio-dia às 23h. Cc.: Todos. USINA 47. Rua Rita Ludolf 47, Leblon (2249-9309). De ter a qui, das 19h às 2h. Sex e sáb, das 19h às 4h. Dom, das 18h à 1h. Cc.: Todos.

Últimas de Diversão