Por daniela.lima

Rio - Vindo da banda gaúcha Tom Bloch (que lançou disco pela Som Livre, na década passada), Pedro Verissimo mostra o repertório de seu disco solo ‘Esboços’, hoje, no Solar de Botafogo. E avisa que o som é bem menos experimental que o de sua ex-banda.

Pedro Verissimo faz show em BotafogoRaul Krebs / Divulgação


“Usávamos muita coisa eletrônica. Numa época, fomos uma banda que era uma dupla. E hoje é uma carreira solo que é uma banda”, brinca ele, acompanhado por Fernando Aranha (guitarra), Marcello Alves (bateria) e Claudio Alves (baixo acústico). O repertório inclui músicas novas, canções do Tom Bloch e uma mistura inusitada: o mash-up de ‘Sinnerman’, de Nina Simone, e ‘Vai no Cavalinho’, do grupo Aviões do Forró.

“A música da Nina fala de um pecador, de um cara que vai atrás de Deus. Na do Aviões tem também essa imagem de uma pessoa ‘indo’. É legal ver a surpresa na cara das pessoas”, brinca Pedro, também autor de trilhas sonoras de teatro e cinema (recentemente compôs para o musical ‘BarbarIdade’, ao lado de Aranha e do pai, Luis Fernando Verissimo). “Eu nem sei tocar nada. Mas vou por tentativa e erro, crio coisas no vocal. Imagino o que os instrumentos devem fazer e passo para todos.”

Você pode gostar