Caixa traz registro do 'Banquete dos Mendigos', show político feito no MAM

Evento ocorreu em 1973, no auge da ditadura militar

Por O Dia

Rio - Fazer música podia ser ato político na década de 1970. Ciente disso, o artista carioca Jards Macalé criou show em seu próprio benefício, só que com cunho social. Produzido por Macalé com Xico Chaves, o espetáculo coletivo ‘Direitos Humanos no Banquete dos Mendigos’ reuniu, em 10 de dezembro de 1973, vários ícones da MPB no Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro.

Gravado de forma clandestina pelo engenheiro de som Maurice Hughes, o show tem seu registro integral lançado pela primeira vez em CD, em caixa produzida pelo pesquisador musical Marcelo Fróes para seu selo Discobertas.

Jards Macalé%2C criador do show que reuniu nomes como Chico Buarque e Gal Costa%2C avaliza a edição da gravação ao vivo em caixa com três CDsDivulgação

Espécie de manifestação pelas liberdades individuais que incluiu uma leitura (por Ivan Junqueira) da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o show reuniu estrelas como Chico Buarque, Dominguinhos (1941 - 2013), Edu Lobo, Gal Costa, Luiz Melodia, Milton Nascimento, Paulinho da Viola e Raul Seixas (1945 - 1989), entre outros artistas recrutados pessoalmente por Macalé.

A gravação ao vivo do histórico show chegou a ser perpetuada em LP duplo impedido em 1974 de chegar às lojas e liberado somente cinco anos depois, em 1979. Daí o valor documental desta caixa com três CDs produzidos a partir dos ‘tapes’ originais guardados em poder de Macalé, que avaliza o projeto.

O roteiro do show ‘Banquete dos mendigos’ alinha iguarias musicais. Vários artistas viviam período de auge criativo naquele ano de 1973, como Dominguinhos e Raul Seixas, que despontaram com força nas paradas naquele ano.

Os três CDs totalizam 42 números. Gal Costa canta sozinha ‘Oração de Mãe Menininha’, lançada por Dorival Caymmi (1914-2008) no ano anterior. Milton Nascimento canta hits do ‘Clube da esquina’. O banquete ofereceu biscoitos finos para a massa.

Últimas de Diversão